InícioEmerson LuisEsporte: Vitória da iniciativa e do talento. Por Emerson Luis

Esporte: Vitória da iniciativa e do talento. Por Emerson Luis

Minha mulher profetizou:

“O jogo está com cheiro de 0 x 0”.

Embora fosse muito cedo, parecia uma tendência.

Muito porque a Sérvia já mostrava seu objetivo.

Parar o Brasil na força, na marra, na superioridade física.

Por vezes na pancada.

O principal alvo era Neymar.

Que tomou tanta porrada que saiu machucado no final.

Diagnosticado após exame de imagem com torção ligamentar no tornozelo.

Assim como o lateral direito Danilo com lesão parecida, porém menos grave.

Os dois estão fora contra Suíça e Camarões.

Só voltam (dependendo da evolução) nas oitavas de final.

Neymar deixou o gramado com suspeita de torção no tornozelo. Foto: Reprodução/Internet

Foi um confronto complicado.

No primeiro tempo.

Pois na etapa final foi um massacre.

Foram 18 finalizações (outras cinco no primeiro tempo).

Contra apenas três do rival (que cansou e foi envolvido pelo talento brasileiro).

Richarlison marcou os dois gols da vitória sobre a Sérvia. Foto: Reprodução/Internet

A seleção teve em Vinícius Júnior sua principal válvula de escape.

Foram do atacante do Real Madrid as principais chances.

E as duas assistências para os gols de Richarlison (o segundo, de voleio, foi uma pintura).

Destaque para a atitude brasileira.

No entanto não dá para esquecer do sistema defensivo que foi primoroso.

Uma vitória merecida.

Da qualidade.

Da paciência.

Da força mental do grupo.

Que aumenta a confiança e dá muita moral para a sequência do Mundial.

Vinícius Júnior foi escolhido o melhor em campo. Foto: Reprodução/Internet

É cedo para apontar favoritismo.

Inclusive o nosso.

Muito menos indicar que determinadas seleções vão ser eliminadas logo na primeira fase como muita gente já vaticinou.

Argentina e Alemanha foram derrotadas, respectivamente, com justiça, para Arábia Saudita e Japão por 2 x 1.

Japoneses comemoram virada contra a Alemanha. Foto: Reprodução/Internet

São as duas equipes mais agouradas pelo brasileiros.

Tropeçaram.

Talvez na soberba.

No desrespeito aos “inexpressivos” adversários.

Árabes comemoram gol contra a Argentina. Foto: Reprodução/Internet

De qualquer maneira é preciso reconhecer os méritos de quem estava do outro lado.

E admitir que ambos podem se recuperar.

Neste sábado (26), às 16h, a Argentina encara o México.

Se vencer volta para a briga.

Messi lamenta gol perdido contra a Arábia Saudita. Foto: Reprodução/Internet

Existem sinais.

Tendências depois dos 16 primeiros jogos.

Pela ordem de impressão, de impacto positivo, quem mais me chamou a atenção foi a Espanha após o humilhante 7 x 0 na Costa Rica.

Lógico que o adversário não serve de parâmetro.

Contudo, a organização, os movimentos coordenados, a sintonia coletiva e a qualidade individual dos jogadores foram bem interessantes.

Só que o grande teste mesmo será contra a Alemanha, no próximo domingo (27), às 16h.

Espanha massacrou a Costa Rica. Foto: Reprodução/Internet

Mesmo arrebentada por conta dos desfalques por lesões, a França mostrou suas credenciais na vitória de 4 x 1 sobre a Austrália – que também não é indicador.

A atual campeã continua forte.

E com um Mbappé ainda mais inspirado depois do veto à Benzema – segundo a imprensa europeia havia uma queda de braço, uma disputa pelo poder no vestiário.

Mbappé comemora gol contra a Austrália. Foto: Reprodução/Internet

A Inglaterra foi outra que apresentou repertório e opções no banco ao fazer 6 x 2 no Irã.

Vai incomodar.

Inglaterra mostrou repertório contra o Irã. Foto: Reprodução/Internet

Tem as decepções.

Esperava muito mais da Dinamarca.

Quebrei a cara depois do 0 x 0 com a Tunísia.

Dinamarca decepcionou na estreia diante da Tunísia. Foto: Reprodução/Internet

A Bélgica provou que está envelhecida.

Sofreu para derrotar o Canadá por 1 x 0.

Não tem bala para superar o 3º lugar de 2018.

Davies perde pênalti defendido por Courtois. Foto: Reprodução/Internet

Portugal ficou devendo da mesma forma.

Tem elenco muito bom do meio para a frente.

A defesa é um problemão.

Cristiano Ronaldo não é mais o mesmo.

Mas seu nome ainda tem peso.

Tanto é que cavou o pênalti que ele bateu e converteu para abrir o placar na vitória suada de 3 x 2 diante da esforçada e viril Gana.

Cristiano Ronaldo comemora gol contra Gana. Foto: Patricia de Melo Moreira/AFP

Segunda-feira (28), às 13h, o Brasil enfrenta a Suíça.

Que na estreia venceu Camarões por 1 x 0.

Camarões e Sérvia jogam mais cedo, às 7h.

Temos tudo para garantir a classificação de forma antecipada e cruzar com o segundo colocado do Grupo H (Portugal, Uruguai, Coréia do Sul ou Gana).

No momento, o melhor a fazer é desfrutar da atuação convincente.

Manter a concentração e os pés no chão.

Emerson Luis é jornalista. Se formou no IBES/Sociesc em 2009. Trabalha com comunicação esportiva desde 1990 quando começou sua carreira no rádio de Blumenau. Atualmente é comentarista esportivo do Programa Alexandre José na Rádio Clube FM. E repórter e apresentador de esportes do programa Balanço Geral da NDTV/Record TV.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com