InícioEmerson LuisEsporte: Planejamento com responsabilidade. Por Emerson Luis

Esporte: Planejamento com responsabilidade. Por Emerson Luis

O vôlei masculino de Blumenau era o tema a ser abordado na semana passada, na véspera da estreia da Superliga, em Guarulhos SP, quando foi derrotado por 3 x 1.

Apan em ação em Guarulhos. Foto: Mauro Horita

Mas como o futebol feminino faria sua estreia em casa no Campeonato Catarinense e seu jogo contra o Pedra Branca de Palhoça estava cercado de muita expectativa, optei por destacar o trabalho do Instituto Metropolitano e sobretudo o esforço das atletas, que jogam de graça.

O jogo não rolou.

Derrota humilhante por WO (0 x 3).

25 meninas e 5 integrantes da comissão técnica pagaram o preço por uma falha logística trivial.

A empresa de segurança contratada (e paga antecipadamente, segundo me garantiu Luis Carlos Koch, o presidente do Instituto) não apareceu.

Se perdeu nas datas.

Se programou para trabalhar domingo (23) e não no sábado (22).

O assunto está sendo tratado juridicamente.

A semana inteira.

Está se preparando a defesa no Tribunal de Justiça Desportiva.

O Instituto nega que a empresa seja de Ibirama como foi especulado.

Ao mesmo tempo continua em cima do muro e não divulga a sua origem.

Também isso passa a ser irrelevante.

O estrago está feito.

É só mais uma queimação de filme do clube (que carrega seu nome na súmula) e do futebol profissional blumenauense como um todo.

Apan em quadra no Galçegão na Superliga. Foto: Raphael Moser

Por essas e outras é que a gente precisa valorizar quem tem um projeto sólido, de continuidade, de respeito ao torcedor.

Sem imprevistos.

Sem improvisos.

Isso vale para as mais diversas modalidades coletivas e individuais.

Que há tempos merecem apoio maior do público e da mídia.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é aopan-galegao-5-1024x781.jpg
Jogo do vôlei no ginásio do Galegão. Foto: Raphael Moser

Cansei de perder tempo ao priorizar o futebol nesse espaço.

Acredito que muita gente também anda de saco cheio.

Mas como o futebol feminino não pode pagar por esse catálogo de erros, importante dar mais um voto de confiança para as meninas.

Que voltam a jogar neste sábado (29), às 15h, no Estádio Guilherme Jensen, no bairro Itoupava Central, contra o Criciúma.

Com entrada de graça.

O vôlei masculino é um case de sucesso.

Com planejamento.

Com metas.

De reverência a quem começou a construir a história.

Afinal, a Associação Professor Artur Novaes (Apan) é uma homenagem ao “pai do vôlei” em Blumenau.

Artur Novaes. Foto: Reprodução/Internet

Em 1977, Novaes começou a formar as primeiras equipes de vôlei na cidade.

A partir de 1984 passou a disputar competições regionais e estaduais.

Em 1998 veio a primeira participação na Liga Nacional.

Após quatro tentativas para voltar à elite, veio a conquista do acesso em 2019.

Jogadores comemoram ponto sobre o Anápolis GO no Galegão. Foto: Raphael Moser

Na temporada seguinte, o time ficou em sétimo lugar.

Em 2020/2021 acabou na quinta colocação, na melhor campanha da história, em nove participações.

O clube é pentacampeão dos Jogos Abertos.

Heptacampeão estadual.

Na base tem nos Jogos Escolares Brasileiros em 2019, seu título de maior expressão.

Mascote Capiva é uma das atrações nos intervalos dos jogos. Foto: Raphael Moser

Um fator determinante de sucesso é a metodologia de trabalho.

Para se ter uma ideia desta filosofia, André Donegá se tornou assistente técnico do time adulto em 1998.

E desde 2004 é o treinador principal, além de coordenar a base.

André Donegá. Foto: Reprodução/Apan

A espinha dorsal do grupo sempre é mantida de uma competição para outra.

São 16 atletas.

Oito remanescentes.

Três prata da casa.

Cinco caras novas.

Entre eles o oposto Alan de Souza, o principal reforço, que teve a infelicidade de romper o tendão atuando pela seleção, em junho, na Bulgária, durante a Liga das Nações.

Só volta no primeiro trimestre do ano que vem.

Seu tratamento está sendo feito em Blumenau com o fisioterapeuta Anderson Tomelin.

Pago pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Alan em jogo pela seleção. Foto: FIVB/Divulgação

Existem as saídas naturais de quem chama a atenção.

Como a do oposto Franco, que vai para a segunda temporada no Guarulhos, e do líbero Filipinho, que até o ano passado estava por aqui.

Lucas Fonseca e Lucas Borges fecharam com o Vôlei Renata/Campinas.

E Rodrigo assinou com o Sada/Cruzeiro.

Oposto Franco recebe prêmio de melhor em quadra pelo Guarulhos. Foto: Alan Morici
Ex-atleta da Apan, Filipinho defende o Guarulhos. Foto: Raphael Moser
Time não conta mais com a liderança de Ialisson que se aposentou. Foto: Raphael Moser

Neste sábado às 21h30, a Apan recebe o Sesi SP no ginásio do Galegão.

O ingresso custa R$20 até a meia-noite desta sexta-feira no site do clube.

Na hora vai custar o dobro.

Treino da Apan no Galegão. Foto: Reprodução/Internet

O adversário é pesado.

Tendência de jogão.

Pena que o horário não ajuda.

Mas é confronto de televisão que estabelece as regras.

De todo modo, a Apan já construiu um público consistente e fiel – a média na última Superliga foi de 1.500 torcedores.

Bem diferente do futebol.

Em muitos sentidos.

Clube comemorando o acesso para a Superliga em 2019. Foto: Raphael Moser

Emerson Luis é jornalista. Se formou no IBES/Sociesc em 2009. Trabalha com comunicação esportiva desde 1990 quando começou sua carreira no rádio de Blumenau. Atualmente é comentarista esportivo do Programa Alexandre José na Rádio Clube FM. E repórter e apresentador de esportes do programa Balanço Geral da NDTV/Record TV.


















Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com