InícioSaúdeCovid-19: Blumenau disponibiliza antecipação da segunda dose da AstraZeneca

Covid-19: Blumenau disponibiliza antecipação da segunda dose da AstraZeneca

Moradores de Blumenau que receberam a primeira dose da vacina da Astrazeneca poderão antecipar em duas semanas a aplicação da segunda dose. Conforme anunciado pela Secretaria de Saúde nesta quinta-feira (4), será possível antecipar o prazo da segunda dose de 12 para 10 semanas.

Para solicitar a alteração, o usuário deverá acessar o site da Prefeitura e clicar no botão “antecipação segunda dose Covid”. Vale lembrar que o prazo entre as doses deve ser de, no mínimo 70 dias, para que o sistema permita a alteração. 

Agendamento para vários grupos

Também serão disponibilizadas vagas de reforço para idosos acima de 60 anos que receberam a segunda dose ou dose única há mais de 5 meses, imunossuprimidos e trabalhadores da saúde, além da antecipação da segunda dose da Pfizer para pessoas que receberam a primeira dose há mais de 56 dias.

A agenda começa às 17h e conta com cerca de 7.300 vagas que serão aplicadas entre sexta (5) e segunda-feira (8) em locais específicos, informados na hora do agendamento. A Central de Vacinação, no setor 3 do Parque Vila Germânica, segue aplicando a segunda dose da vacina e antecipação da Pfizer para quem já possui agendamento neste local. No sábado e domingo, os Ambulatórios Velha, Garcia e Itoupava estarão vacinando o público agendado.

Com exceção da população adulta, acima de 18 anos, todos os demais grupos devem fazer o agendamento no site da Prefeitura de Blumenau ou pelo Alô Saúde, no telefone 156 (opção 2), que terá atendimento nesta sexta-feira, até as 22h, caso a agenda não seja preenchida antes desse horário. A Secretaria de Saúde informou ainda que aguarda o envio doses de vacina do Governo do Estado para disponibilizar novas vagas para vacinação de adolescentes.

Conforme as vagas do primeiro dia forem preenchidas o sistema disponibilizará as vagas do dia seguinte. Somente serão vacinados aqueles usuários com agendamento. É necessário levar documento de identificação e, caso tenha, carteira de saúde. Pessoas acima de 60 anos não devem fazer agendamento no grupo de pessoas imunossuprimidas, sem que atendam os critérios do Ministério da Saúde.

Públicos, documentação e locais de aplicação:

Pessoas acima dos 18 anos: com exceção do feriado, a aplicação acontece nos dias da semana em todos os AGs e nas unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) com sala de vacina ativa, sem necessidade de agendamento (confira aqui a relação das salas de vacina). Documento de identificação com foto.

Pessoas imunossuprimidas: aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 acontece nos Ambulatórios Gerais, mediante agendamento. Documento de identificação com foto; Cadastros já existentes nas Unidades de Saúde ou outros serviços dos municípios que comprovem a condição; Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID e prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados; Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa; Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa considerando o prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados conforme a Nota Técnica nº 43 do Ministério da Saúde.

Pessoas acima de 60 anos: aplicação da dose de reforço contra Covid-19 acontece nos Ambulatórios Gerais, mediante agendamento. Documento oficial com foto e carteira de vacina. Caso o usuário ainda não tenha cadastro no SUS, será necessário apresentar comprovante de residência. 

Trabalhadores da saúde: aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 acontece nos Ambulatórios Gerais, mediante agendamento. Documento de identificação com foto e comprovação de vínculo ativo do trabalhador com respectivo serviço de saúde.

Trabalhadores da saúde contemplados

Consideram-se trabalhadores da saúde indicados para receber a dose de reforço os indivíduos que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão à saúde; ou seja, que atuam em estabelecimentos de serviços de saúde, a exemplo de hospitais, clínicas, ambulatórios, unidades básicas de saúde, laboratórios, farmácias, drogarias e outros locais. Dentre eles, estão os profissionais de saúde, agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, profissionais da vigilância em saúde e os trabalhadores de apoio, como por exemplo recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias, gestores e outros, além de trabalhadores de serviços de interesse à saúde, conforme previsto no Oficio-Circular nº 57/2021/SVS/MS, de 12 de março de 2021, e nº 156/2021/SVS/MS, de 11 de junho de 2021. 

Inclui-se, ainda, aqueles trabalhadores que atuam em cuidados domiciliares que atuam em programas ou serviços de atendimento domiciliar, como por exemplo cuidadores de idosos, doulas e parteiras.

Além disso, incluem se os familiares diretamente responsáveis pelo cuidado de indivíduos gravemente enfermos ou com deficiência permanente que impossibilite o autocuidado, de forma que não estão incluídos todos os contatos domiciliares destes indivíduos, apenas o familiar diretamente responsável pelo cuidado.

Também estão incluídos os estudantes de graduação e pós-graduação das profissões de saúde, no que couber, desde que estejam em atividade de exposição ao coronavírus em razão de estágios curriculares e outras modalidades de prática acadêmica.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com