InícioEmerson LuisEsporte: Municipalização do Complexo Esportivo do Sesi em banho-maria, por Emerson Luis

Esporte: Municipalização do Complexo Esportivo do Sesi em banho-maria, por Emerson Luis

O processo culinário de cozimento tem por objetivo deixar que as coisas aconteçam com calma, sem pressa.

No sentido figurado, é mais ou menos nessa temperatura branda que as tratativas entre prefeitura e FIESC estão se desenrolando nos bastidores.

Piscina externa do Complexo Esportivo do Sesi. Foto: Reprodução/Internet

Tudo passa pelas cifras.

A FIESC pediu inicialmente R$ 55 milhões.

A prefeitura se assustou.

A oferta baixou para R$ 47 milhões.

O poder público seguiu batendo pé.

Ofereceu R$ 32 milhões – evidentemente parcelados.

A negociação está em compasso de espera.

A diferença de R$ 15 milhões está pegando.  

Afinal, o município alega não ter fluxo de caixa.

Também entende que o imóvel está depreciado.

Que precisa de reformas em alguns setores, entre eles o telhado.

Para o martelo ser batido, alguém vai ter de ceder.

Ginásio do Sesi onde o futsal joga a Liga Nacional. Foto: Reprodução/Internet

Não há mais interesse da FIESC em utilizar aquela estrutura gigante. de 320.000m.

Já faz um tempo que não aplica recursos no esporte.

Apenas a manutenção.  

O foco mudou.

As prioridades são educação, tecnologia e inovação.

Tanto é que até 2025, pretende injetar R$ 90 milhões no terreno das ruas São Paulo e Max Hering, no bairro Victor Konder.

O Programa Educação SESI/SENAI 20/30 tem por objetivo transformar o local no melhor campo educacional do estado.

Prefeito Mário Hildebrandt na reunião com diretores da FIESC. Foto: Filipe Scotti

Eu estava preocupado quanto à venda do complexo para a iniciativa privada.

Alguma empresa de investimentos ou construtora simplesmente poderiam aparecer e comprar aquilo tudo.

Isso não deve acontecer.

Até porque existe uma cláusula no contrato que proíbe a transação sem com o aval da prefeitura.    

Ao que parece a FIESC virou refém.

A prefeitura aguarda uma manifestação oficial de Florianópolis.

Piscina interna de 25m do SESI. Foto: Reprodução/Internet

O interesse do município é adquirir o Complexo Esportivo em parceria com o governo Federal que tem a ideia de implantar aqui um Centro de Desenvolvimento de Modalidades Olímpicas.

Assim que o negócio for fechado, R$ 10 milhões, de imediato, serão aportados na rua Itajaí.

É a informação que recebi.

Acredito que não tem mais volta, vai dar certo.

Contudo, enquanto não se chega a um veredito, seguimos perdendo eventos.

Vou me limitar ao atletismo.

Pista do Complexo Esportivo de Timbó. Foto: R2 Imagens

No último fim de semana Timbó foi sede do 1º Campeonato Sul-Americano de Clubes de Atletismo Master.

A competição reuniu no Complexo Esportivo mais de 200 atletas acima de 35 anos.

Que vieram de vários estados do Brasil (Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Sergipe e Santa Catarina).

60 estrangeiros se inscreveram.

Só que devido ao veto de entrada no país ocasionado pela pandemia, apenas dois gringos compareceram, um do Chile e outro do Paraguai.

Timbó tem a melhor pista de atletismo do estado. Foto: Reprodução/Internet

De qualquer maneira, o evento movimentou a economia de Timbó por uma semana.

Hotéis, pousadas, restaurantes, bares, boates, lojas, compras…

Todos se beneficiaram.

Pista do Complexo Esportivo de Timbó. Foto: Reprodução/Internet

O Sul-Americano poderia ter sido realizado em Blumenau.

Assim como outros torneios do gênero.

Não aconteceram porque a pista do Sesi está detonada, sem nenhuma condição de receber qualquer tipo de competição.  

Pista de atletismo do SESI em Blumenau. Foto: Reprodução/Internet

Desde novembro de 2019 quando foi inaugurada nos Jogos Escolares da Juventude (Blumenau foi sede) organizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro, a pista do Complexo Esportivo recebeu 21 eventos de atletismo.

Até dezembro serão mais cinco, incluindo Olesc, Joguinhos, Jogos Abertos e Parajasc.

Tudo porque Timbó tem hoje a melhor pista de atletismo do estado – seguida de Jaraguá do Sul.

Prova nos Jogos Escolares da Juventude. Foto: Reprodução/Internet

O investimento foi de R$ 1.778.155,66.

R$ 1 milhão da prefeitura.

R$ 778 mil do convênio com o governo do Estado – Fesporte.

O material sintético é o mesmo usado no Estádio Nilton Santos (Engenhão) que recebeu as provas das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Pista foi inaugurada nos Jogos Escolares da Juventude. Foto: Waldemar Neto/Ascon

Enquanto o banho-maria em Blumenau não fica pronto, somos jantados por Timbó.

Abraço de inauguração da pista de Timbó em 2019. Foto: R2 Imagens

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com