InícioGeralOperação que combate extração ilegal de madeira vistoria pontos em Blumenau

Operação que combate extração ilegal de madeira vistoria pontos em Blumenau

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA), a Polícia Civil e a Polícia Militar Ambiental realizaram em Blumenau a terceira fase da Operação Madeira de Lei para tentar impedir a retirada ilegal de madeira nativa da área de sobreposição entre a Reserva Biológica Estadual do Sassafrás e a Terra Indígena Ibirama-Laklãnõ.

A ação teve sete alvos entre serrarias, madeireiras, marcenarias e lojas de móveis. Foram vistoriados mais de 1.000 metros cúbicos de madeiras, emitidas cinco notificações para sanar possíveis irregularidades e um auto de infração, que originou uma apreensão de madeira.

Operação

A primeira fase da Operação Operação Madeira de Lei focou a região de Doutor Pedrinho, em agosto do ano passado. Contudo, seus desdobramentos indicaram que a madeira é escoada para diferentes cidades do Vale do Itajaí. Criada em 4 de fevereiro de 1977, a Reserva Biológica Estadual do Sassafrás tem uma área de 5.229 hectares.

O nome da Unidade de Conservação faz referência à espécie arbórea Ocotea odorifera, conhecida popularmente como canela-sassafrás, ou simplesmente sassafrás, pertencente à família das lauráceas, presente em abundância na região. Atualmente, está na lista de espécies da flora brasileira ameaçada de extinção.

A reserva abriga e protege uma rica biodiversidade de Santa Catarina. Além da fauna e da flora, está repleta de nascentes que formam belos vales de característica “encaixada”. Tais nascentes formam cursos d’água, que abastecem os principais rios da região e que são importantes tributários do Rio Itajaí-Açu.

Quer receber as notícias do Portal Alexandre José direto em seu celular, pelo WhatsApp? Então clique aqui e entre em nosso grupo. Informação em tempo real, onde quer que você esteja!

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com