InícioGeralPrefeitura de Blumenau não foi informada sobre paralisação do transporte coletivo

Prefeitura de Blumenau não foi informada sobre paralisação do transporte coletivo

ATUALIZAÇÃO: Transporte coletivo: Sindetranscol descarta novas paralisações nas próximas 48h

A Prefeitura de Blumenau se manifestou oficialmente na manhã desta terça-feira (3), após a paralisação do sistema de transporte coletivo na cidade. Em nota, a administração municipal confirmou que não foi informada do movimento e lamentou a atitude do Sindicato dos Empregados nas Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau (Sindetranscol), que lidera o movimento de greve. Confira abaixo:

A Prefeitura de Blumenau esclarece que não foi informada sobre a paralisação desta manhã dos trabalhadores do transporte público. Reitera ainda que as negociações salariais são de responsabilidade da empresa concessionária e que acompanha, mas não participa das decisões. Sabemos das dificuldades enfrentadas por conta pandemia e da consequente queda no número de passageiros e, por isso, cumprindo decisões judiciais fez repasses para evitar que o serviço fosse descontinuado na cidade. A Prefeitura também lamenta a atitude do sindicato que paralisa as atividades sem aviso prévio, prejudicando as pessoas que precisam do transporte público.

Moradores e usuários do transporte coletivo também foram pegos de surpresa. Trabalhadores relataram ao Portal Alexandre José que ficaram horas nos pontos de ônibus, à espera da condução, sem saber o que estava acontecendo. A frota ficou sem circular das 3h30 às 7h, quando os serviços foram retomados. Nenhum comunicado foi enviado à imprensa, nem publicado nas redes sociais do Sindetranscol.

A empresa responsável pelo serviço – Blumob – ainda não se manifestou sobre a paralisação de hoje. O Sindetranscol também não concedeu entrevistas, mas já convocou uma coletiva de imprensa, marcada para as 10h, na sede do sindicato, no bairro Garcia, perto do Terminal da Fonte. A diretoria da entidade deve informar se haverá novas ações da greve e quais serão os próximos passos do movimento.

Entenda o impasse

O estado de greve foi aprovado pelos trabalhadores em assembleia geral na última quarta-feira (28) na sede do Sindicato dos Empregados nas Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau (Sindetranscol). A decisão foi tomada por conta da ausência de negociação coletiva de trabalho, incluindo o desrespeito da data-base firmada com a categoria, que é dia 1° de julho, quando já deveria estar assinada e em vigor a nova Convenção Coletiva de Trabalho para 2021/2022.

Um comunicado alertando sobre a possível paralisação foi entregue a Prefeitura de Blumenau, a Blumob (empresa concessionária do serviço) e ao sindicato patronal (Setepesc) na quinta-feira (29). Após 72 horas de protocolar o documento, os funcionários poderiam cruzar os braços e paralisar os serviços a qualquer momento. O Sindetranscol, porém, informou que foi contatado pela Blumob já na tarde de sexta-feira (30) para tratar das negociações.

A concessionária confirmou que uma data para tratar do tema será agendada em breve. A empresa também afirmou que “é preciso levar em conta os impactos que a pandemia trouxe para o transporte coletivo da cidade” e avalia ainda que o pedido de reposição – de cerca de 11% – pesa muito no impacto tarifário e que qualquer decisão deve considerar também as consequências do momento. Uma nova assembleia da classe está marcada para o dia 10 de agosto.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com