InícioHistóriaHistória: o ônibus no tempo do Progresso-Badenfurt, por André Bonomini

História: o ônibus no tempo do Progresso-Badenfurt, por André Bonomini

Tentando aliviar o clima da semana passada, em algum momento de sonho durante uma noite de sono, voltei aos tenros anos da infância. Era uma tarde de sol e pouquíssimas nuvens entre 1993 e 1994. Ela falava, durante a manhã, que precisava ir a “cidade”, costumeira alcunha que todo blumenauense usa quando fala que vai à região central para pagar boletos, comprar coisas ou fazer sabe-se lá o que (lá nos anos 1990, isso também existia).

Todo pimpão, perguntava se podia ir junto com ela, na esperança de trazer um carrinho de metal das Lojas Americanas. Qual garoto daquela idade e tão influenciado pelo automóvel não gostava de um mimo desses? Depois de alguma resistência, ela deixa que eu seja a companhia dela. No entanto, meu padrinho não irá para o Centro naquela tarde, nos resta tomar o bom e velho ônibus. E agora que a nossa história começa a ficar legal.

Aqui no Progresso, no sul do Reino do Garcia, o ponto de ônibus no sentindo bairro-Centro fica bem do lado de casa, de modos que: se você sai no portão de casa é motivo para uma corrida desesperada, e quando se é criança é meio difícil correr na velocidade que se precisa para não perder o busão. Naqueles idos, com meus 3, 4 anos de idade, era o momento de segurar firme na mão de minha mãe e ir para o ponto. O Passo Manso e o Badenfurt estavam a caminho.

Foto: Egonbus

Sim, você leu certo: eu moro no Progresso, e naquele tempo, pegar um ônibus para a “cidade” era escolher entre uma linha para o Badenfurt ou o Passo Manso, partindo do fim do Progresso ou do Jordão, respectivamente. Não raro, qualquer uma das duas linhas era certeza de coletivo cheio na ida e na volta, veículos envelhecidos e até histórias folclóricas, sobretudo de quem tinha os carros como meio vital de locomoção.

Essa conversa de transporte coletivo na cidade é antiga. Desde que Frederico Busch colocou a primeira jardineira pra rodar entre o Stadtplatz (Centro) e Altona (Itoupava Seca) em 1914 que Blumenau e o ônibus costuram a relação de necessidade, memória e um certo ódio. Talvez os dias de hoje não nos deixem voltar ao passado que, se era mais difícil, tem um glamour impossível destas máquinas prateadas repetirem.

E quando eu digo “glamour” não falo que um ônibus em Blumenau já teve dias de perfeição. Viagens lotadas, veículos envelhecidos e problemas com horários e passagens sempre fizeram parte de nossa realidade. Foi assim nos tempos de linhas ponto-a-ponto, nos primórdios da busca de um modelo de transporte integrado como o implantado em 1995, passando pela catraca livre, veículos articulados, o SIGA, até chegarmos na Blumob, seus mistérios, faltas, demandas e crises.

Mas aqui não é lugar para polemizar sobre o transporte coletivo, isso fica com trabalhadores, autoridades e comentaristas de banco de busão. Hoje, quero convidar você a embarcar comigo no Progresso-Badenfurt de outros tempos e recordar, em algumas imagens, os tempos áureos (se é que podemos chamar assim) do ônibus em Blumenau.

Será uma viagem gratuita, sem lotação e risco de Covid e que, te garanto, vai trazer as mais particulares recordações. Delas, também se faz a história deste modal em Blumenau. Apenas salientando que, por explorar um período da memória antes ainda do Terminal Urbano, os ônibus articulados foram deixados de lado nesta feita. Outras passagens na história do transporte coletivo ainda estão programadas aqui nesta coluna.

Sendo assim, entre no busão, pegue um lugar e vamos lá. A viagem é longa, ela não parou até hoje e Blumenau, de alguma forma, construiu-se e se constrói dia a dia dentro dos ônibus.

(Cortesia das imagens: Egonbus, ValeBUS Ônibus e Antigamente em Blumenau)

Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: ValeBUS Ônibus
Foto: ValeBUS Ônibus
Tiburcio e Jair Bogo, da Verde Vale (Foto: ValeBUS Ônibus)
Foto: ValeBUS Ônibus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: ValeBUS Ônibus
Foto: ValeBUS Ônibus
Foto: Gilmar de Souza
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Egonbus
Foto: Blog do Jaime
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2020-09-11-at-11.17.10.jpeg
Texto escrito por ANDRÉ BONOMINI

André Luiz Bonomini (o Boina), filho do Progresso, do Reino do Garcia. Jornalista graduado pela Unisociesc, atua desde 2013 no mundo da notícia. Apaixonado por história e poeta “de fim de semana”, teve passagens no rádio pela 98FM (Massaranduba), Radio Clube de Blumenau, PG2 (Timbó) e atua como programador musical da União FM (96.5), de Blumenau. Boina também é “escritor de fim de semana”, blogueiro e colunista.

Quer receber as notícias do Portal Alexandre José direto em seu celular,
pelo WhatsApp? Então clique aqui e entre em nosso grupo. Informação em
tempo real, onde quer que você esteja!

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com