InícioGeralFamílias cadastradas no Fila Única precisam fazer recadastramento

Famílias cadastradas no Fila Única precisam fazer recadastramento

A partir da próxima segunda-feira (9), até o dia 27 de agosto, as famílias inscritas no Sistema Fila Única dos CEIs deverão fazer o recadastramento anual. A atualização do cadastro é necessária para quem fiz a intenção de vaga em 2021 ou anos anteriores. No ano passado, não houve em função da pandemia causada pelo coronavírus. 

Para fazer o recadastramento, os pais e/ou responsáveis devem procurar um dos Centros de Educação Infantil (CEIs) e apresentar a documentação prevista no Decreto nº 12.826/2020. As famílias que perderem o prazo serão retiradas do Sistema Fila Única.

Antes da última atualização em 2019, 5.835 crianças estavam no Fila Única. Depois do recadastramento, restaram 3.646. O recadastramento é fundamental para que se tenha a dimensão real da quantidade de crianças que estão aguardando vaga, já que algumas famílias fazem a intenção, mas acabam indo para a rede privada ou mudam de cidade.

A medida é necessária também em função das regras estabelecidas no decreto, que define critérios de prioridade na fila com base na renda familiar. A ordem cronológica das intenções de vaga será respeitada. Para mais esclarecimentos, as famílias podem obter informações diretamente nos CEIs ou pelo telefone (47) 3381-7044.      

Segundo dados da Secretaria de Educação (Semed), até a última terça-feira (3), havia 182 vagas ociosas para turmas de creche, ou seja, que estão disponíveis para as famílias, mas não há interessadas. Atualmente, o Sistema Fila única registra um total de 1.385 crianças cadastradas.

Documentação para recadastramento:

– Certidão de nascimento e CPF da criança;
– CPF e RG dos responsáveis legais e dos demais integrantes da família;
– Comprovante de residência dos responsáveis legais da criança, no município de Blumenau;
– Comprovante do endereço do local de trabalho – somente para os responsáveis;
– Documento expedido pelo Conselho Tutelar de Medida Protetiva de concessão de guarda temporária ou Termo de Guarda expedido pelo Juizado da Infância e Adolescência, se for o caso;
– Declaração de trabalho estipulando o horário de trabalho dos responsáveis legais da criança;
– Declaração de beneficiário do Bolsa Família expedida pelo CRAS, se houver;
– Carteira de Trabalho e comprovante de rendimentos ou declaração de trabalho, que comprove a renda de todos os integrantes da unidade familiar da criança.

Quer receber as notícias do Portal Alexandre José direto em seu celular,
pelo WhatsApp? Então clique aqui e entre em nosso grupo. Informação em
tempo real, onde quer que você esteja!

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com