Início Emerson Luis Esporte: O pior time da história, por Emerson Luis

Esporte: O pior time da história, por Emerson Luis

A expressão tem sido usada com frequência desde o último sábado (20) quando o Metropolitano foi derrotado pelo Próspera por 2 x 0.

Além do jogo em Criciúma, assisti as demais partidas pela TV.

Empate com o Figueirense (0 x 0).

Derrotas para Brusque e Joinville (1 x 0).

Para opinar sobre esse veredicto, precisava ver a atuação da equipe no estádio onde a leitura é bem diferente do sofá.

Na última quarta-feira (24) encarei a tensa BR-470 até Ibirama para acompanhar Metropolitano 0 x 1 Marcílio Dias.

Na cabine do Estádio da Baixada em Ibirama.

É necessário traçar um raio-x com os times rebaixados em 2017 e 2019.

De cara dá para afirmar que individual e coletivamente, o grupo de 2021 é o mais limitado.

A falta de planejamento também contribui.

Afinal, o elenco começou a se juntar a partir de 8 de fevereiro – 17 dias depois já estava oficialmente estreando contra o Figueirense.

O processo (clínico, físico, técnico, tático e emocional) foi atropelado.

Futebol é treinamento, é repetição.

Indubitavelmente, é a pior pré-temporada da história.

Metropolitano e Marcílio Dias em ação no novo gramado da Baixada em Ibirama. Foto: Bruno Golembiewski

Estava na cara que essa largada corria um sério risco de não dar certo.

Cantei a pedra aqui mesmo no Portal, com o tema “Ouro de Tolo”, que muitos não curtiram por entender (imagino) que eu estava agourando e/ou secando a equipe, antes mesmo de entrar em campo oficialmente.

Assumo a culpa de alguma maneira.

Exaltei a chegada de Dyego Coelho.

Entendi que poderia ser um diferencial.

Só que ninguém consegue fazer um bom trabalho sem mão de obra qualificada.

Coelho largou o barco antes que afundasse.

Um iminente rebaixamento queimaria seu filme.

O problema, no geral, é que somos carentes, nos contentamos com pouco (Imprensa e torcida) e quando temos uma atuação um pouco acima do trivial (primeiro tempo contra o Figueirense e segunda etapa diante do Brusque), vendemos uma falsa ilusão.

Só que o tempo, os números e, sobretudo, a condição dos jogadores provam o contrário.

Técnico Dyego Coelho e o gestor André Santos. Foto: Giullio Rotermel

Olhando friamente a formação e as opções à disposição de Paulo Massaro contra o Marcílio Dias não dá para se empolgar.

Tudo acaba se refletindo na atuação.

Na Baixada, a equipe até teve volume de jogo, criou, só que não existe nenhum jogador decisivo, que faça a diferença.

Não concordo que existe falta de vontade, como muitos cobram.

Sobra transpiração.

E só isso não basta.

O mais impressionante é que apesar de não fazer um gol há 540 minutos, fora os acréscimos (incluindo o jogo-treino contra o Sub 20 do Avaí), a equipe vendeu caro todos os resultados.

O nível do estadual está baixo, claro.

Se contasse com jogadores mais cascudos – que são mais difíceis de negociar – a história poderia ser outra.

Talvez.

Lateral Guto foi anunciado hoje. Arte: CA Metropolitano

Pelo menos três reforços chegaram.

Oficialmente foi anunciada apenas a chegada do lateral direito Guto, 23 anos, que trabalhou com Massaro no Santa Cruz PE em 2019.

Estava jogando a Série A3 paulista pelo Batatais.

Também caiu no BID os nomes do volante blumenauense Renan Wagner, 29 anos, um velho conhecido, e do também volante e meia-atacante Renan Gomes, 22 anos, que está vinculado ao América Mineiro.

O preocupante é que seu último jogo oficial foi em 2019.

Renan Wagner também não joga desde o começo de 2020 quando voltou da Europa por causa da pandemia – embora esteja treinando com o grupo desde fevereiro.

Renan Gomes veio de empréstimo do América Mineiro: Foto: Divulgação
Renan Wagner estava treinado com o grupo. Foto: Reprodução

Se vão ser suficientes para escapar da degola, não sei.

Esperava um centroavante, mesmo sabendo das dificuldades no mercado, pois quem é bom está empregado.

Pelo menos o departamento de Futebol se mexeu.

Os concorrentes estão preocupantemente abrindo uma boa margem de pontos como pode ser conferido na classificação.

Técnico Paulo Massaro chegou na segunda-feira e na quarta-feira já fez sua estreia. Foto: Giullio Rotermel

O Metropolitano caiu em 2017 junto com o Barroso.

Fez a pior campanha entre os 10 participantes.

33,3% de aproveitamento – a Chapecoense foi campeã com 72,2% de eficiência.

Dos 54 pontos em disputa fez apenas 18.

4 vitórias: Brusque (2 x 0), Internacional (1 x 0), Barroso (1 x 0) e Figueirense (3 x 1).

6 empates: Tubarão, Barroso e Joinville (0 x 0), Criciúma, Tubarão e Internacional (2 x 2)

8 derrotas: Avaí (2 x 1, 4 x 1), Chapecoense (4 x 0, 3 x 1), Joinville (1 x 0), Criciúma (5 x 4), Figueirense e Brusque (3 x 2).

6º melhor ataque (24 gols).

Pior defesa (32 gols).

Mesmo assim produziu um dos vice-artilheiros.

Sabiá marcou 8 gols, três a menos do que Renteria do Tubarão e Jonatas Belusso do Brusque.

Escalação base:

Colombelli, Maranhão, Maurício (Paulo Vitor), Elton e Juninho; Willian Rodrigues, Valkenedy, Mazinho e Thiago Cristian (Mariano Tripodi); Alemão (Charles) e Sabiá.

Técnicos César Paulista e por último Mauro Ovelha.

Atacante Sabiá agradecendo gol marcado. Foto: CA Metropolitano

A equipe de 2019 estreou na Ressacada em 17 de janeiro, com derrota para o Avaí por 2 x 1.

Com Igor, Paulo Henrique, Clau, Guilherme Café e Jefinho (Rhuan Wallace); Leandro Melo, Michel Schmöller, Negueba e Bruninho (Netinho); Mariano Tripodi (Weslley) e Ari Moura.

Técnicos Marcelo Mabília, Abel Ribeiro e Isaque Pereira.

Grupo que na sequência ganhou o reforço de Junior Pirambu (que valorizado foi para o Brusque) e a promoção de Ruan Oliveira (negociado logo após o estadual com o Corinthians por empréstimo de R$ 100 mil reais).

16 pontos em 18 partidas.

29,6% de aproveitamento- o Avaí campeão teve 68,3%.

4 vitórias: Tubarão (2 x 1), Hercílio Luz (3 x 1), Marcílio Dias (1 x 0) e Brusque (2 x 1).

4 empates: Chapecoense e Joinville (0 x 0), Figueirense e Joinville (1 x 1).

10 derrotas: Avaí (4 x 0 e 3 x 0), Hercílio Luz (4 x 0), Criciúma (2 x 0 e 1 x 0), Brusque (6 x 1), Chapecoense (2 x 1), Figueirense (1 x 0), (Tubarão 2 x 0).

GP 13 – pior ataque

GC 32 – pior defesa

A primeira vitória só veio na 8ª rodada, 2 x 1 diante do Tubarão.

Time de 2019 em campo. Foto: CA Metropolitano

Algumas coincidências óbvias.

Mesmo assim, convenhamos, dos três perfis, o atual ainda é inferior – e tem contra si o fato de que o campeonato é de tiro muito curto.

São só mais seis jogos como mostra a tabela.

Cravar que esse é o pior time da história só vai ser possível se ele não se mantiver na Série A e também não apresentar absolutamente nada de positivo.

E como o futebol vive de reviravoltas, algumas que até nos deixam estupefatos, melhor esperar pelo jogo deste sábado (27) contra o Hercílio Luz, em Tubarão, às 16h.

Se de fato não acontecer nenhum tipo de reação, o rebaixamento será iminente.

E o rótulo virá naturalmente.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Sexta-feira deve ter tempo firme e predomínio de sol em Blumenau

A atuação do ar mais seco sobre o Vale do Itajaí garante tempo firme com predomínio de sol e poucas nuvens em Blumenau nesta...

Covid-19: Em Blumenau, duas mortes e 110 novos casos nas últimas 24h

Mais duas mortes por coronavírus foram registradas em Blumenau nas últimas 24h. Os dados são do boletim diário da Secretaria de Saúde da cidade,...

Manutenção em tubulação na Rua Almirante Barroso pede atenção ao trânsito nesta sexta

Fique atento ao trânsito na Vila Nova: Uma obra de manutenção em uma tubulação na Rua Almirante Barroso poderia deixar o trânsito complicado na...

Menor admite vender droga na chamada crackolândia do bairro Itoupavazinha

A Polícia Militar fez um novo flagrante de tráfico de drogas em Blumenau nesta quinta-feira (22). Desta vez, foi no bairro Itoupavazinha, em um...

Apreendido em Blumenau adolescente de 17 anos com 59 BOs

Um adolescente de 17 anos foi apreendido em Blumenau nesta quinta-feira (22) porque era considerado foragido da Justiça. Havia contra ele um mandado expedido...
error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com