InícioSegurançaCom auxílio da PM, Justiça cumpre ordem de despejo de família em...

Com auxílio da PM, Justiça cumpre ordem de despejo de família em Blumenau; veja o que diz a defesa

Na manhã desta quarta-feira (16), várias viaturas da Polícia Militar prestaram apoio a oficiais de Justiça para cumprimento de uma ordem de despejo em um imóvel em Blumenau. A residência está localizada no bairro Valparaíso, região Sul da cidade. O processo de venda da casa já dura cerca de dez anos. Veja abaixo a reportagem ao vivo feita no local pela equipe do Portal Alexandre José:

O que diz a defesa da família


1- A defesa não concorda com as decisões judiciais impostas em desfavor da família ora despejada, por entender que há subsídios probatórios suficientes que sustentam a incapacidade de exercer atos da vida civil (inclusive assinar contratos), além de serem idosas, uma com 76 anos acometida por enfermidades psiquiátricas e físicas;
2- O despejo ocorre em plena pandemia mundial, o que por si só agrava a situação, bem como a diligência ter sido cumprida faltando apenas uma semana para as datas comemorativas de final de ano;
3- O contrato de venda é totalmente irregular, pois o mesmo foi vendido por induzimento ao erro do vendedor que por se tratar de pessoa sem instrução, acabou sendo ludibriado pelo comprador;
4- Entendemos que a decisão tomada é totalmente arbitrária, todavia a defesa acata o posicionamento judicial posto que decisão judicial se cumpre. Por parte da defesa usou-se de todos os predicados legais disponíveis buscando-se resguardar o direito, inclusive com tratativas de conciliação entre as partes, tendo em vista que os despejados tratam-se de pessoas de bem e que estavam no afã de resolver a situação;
5- Ainda, há princípios e dispositivos legais que vedam o despejo de pessoa idosa, a qual possuía apenas aquele imóvel, de forma que, o aconteceu na data de hoje pela manhã, não é admissível que uma pessoa idosa seja despejada sem que a mesma não tenha para onde ir, e mais, como já dito antes, em plena pandemia;
6- O comprador é pessoa de posses e não mudaria sua vida esse despejo na atual situação, portanto poderia ser feito em outro momento;
7- A justiça na figura da mitologia é vendada para que a mesma venha à luz sob qualquer pessoa, no caso, a justiça vendou os olhos para a mais clara arbitrariedade, não acatando argumentos defensivos extremamente plausíveis e justificáveis;
8- Ainda, continuamos na defesa do caso buscando que a verdade e a justiça se reestabeleça, respaldando o direito dos despejados, que nem sequer estão de posse dos valores da suposta venda do imóvel, posto que estes foram consignados em juízo pelo comprador, ou seja autor da ação possessória;

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com