Início Geral Eleições 2020: qual a diferença entre enquete e pesquisa eleitoral?

Eleições 2020: qual a diferença entre enquete e pesquisa eleitoral?

Você sabe a diferença entre enquete e pesquisa eleitoral? A primeira está proibida desde o dia 27 de setembro pela Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.600/2019, publicada com os ajustes feitos a partir das mudanças de prazos das Eleições 2020 decorrentes da pandemia de Covid-19.

Com base no documento, desde 1º de janeiro deste ano as entidades e as empresas que realizarem pesquisas de opinião pública sobre as eleições ou os candidatos são obrigadas a registrar cada pesquisa no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle) até cinco dias antes da divulgação do resultado.

O texto exige uma série de requisitos para o registro de uma pesquisa eleitoral. Entre as informações que devem ser registradas estão as seguintes: o contratante da pesquisa, com CPF ou CNPJ; o valor e a origem dos recursos gastos; a metodologia e o período de sua realização; o questionário aplicado ou a ser aplicado; o nome do estatístico responsável; e a indicação do estado em que será realizado o levantamento.

As empresas responsáveis pela divulgação de pesquisa fraudulenta ou sem o registro prévio das informações na Justiça Eleitoral podem receber multas no valor de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00. A divulgação de pesquisa fraudulenta constitui crime. Seu responsável pode ser punido com 6 meses a 1 ano de detenção e multa.

Os partidos políticos, o Ministério Público, os candidatos e as coligações detêm legitimidade para impugnar o registro ou a divulgação de uma pesquisa eleitoral junto ao juízo ou ao tribunal competente, bem como apresentar as ações judiciais eleitorais cabíveis.

Enquetes

A Resolução do TSE nº 23.600/2019 define enquete como o levantamento de opinião sem plano amostral, que depende da participação espontânea do interessado e que não utiliza método científico para a sua realização, apresentando resultados que possibilitam ao eleitor perceber a ordem dos candidatos na disputa.

O documento autoriza o exercício do poder de polícia contra a divulgação de enquetes, inclusive com a expedição de ordem para que seja removida, sob pena de crime de desobediência à Justiça Eleitoral. O primeiro e o segundo turno das Eleições 2020 serão realizados, respectivamente, nos dias 15 e 29 de novembro.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Caixa credita R$ 1,2 bi para beneficiários do ciclo 5 nascidos em agosto

A Caixa realiza nesta sexta-feira (4) mais uma etapa de pagamento do Auxílio Emergencial e do Auxílio Emergencial Extensão para 3,4 milhões de brasileiros...

História: Blumenau sob o olhar de Amaral Netto, “O Repórter”, por André Bonomini

Era 1971, tempo em que o mundo ainda vivia entre as tensões da Guerra do Vietnã e os conflitos na Irlanda do Norte. Assistíamos...

Duas empresas apresentam proposta para concessão da Praça Dr. Blumenau no centro

Aconteceu nesta sexta-feira (4) a abertura dos envelopes para a concessão da Praça Dr. Blumenau, localizada no Centro Histórico da cidade. Duas empresas apresentaram...

Trabalhador cai de cobertura de oito metros de altura e é hospitalizado em Blumenau

O acidente aconteceu por volta das 9h desta sexta-feira (4) na Rua Almirante Barroso, no bairro Vila Nova, em Blumenau. Guarnições do Corpo de...

Foragido da Justiça por furto é localizado e preso em Blumenau

Tudo aconteceu por volta das 16h30min na Rua Governador Jorge Lacerda, no bairro Velha, em Blumenau. A Polícia Militar abordou um Renault Sandero. Durante...