Início Emerson Luis Esporte: A decapitação no futebol brasileiro. Por Emerson Luis

Esporte: A decapitação no futebol brasileiro. Por Emerson Luis

A notícia que reverbera nesta sexta-feira (28) é a saída de Dorival Júnior no Athletico após seis jogos na Série A.

Cair treinador no futebol brasileiro é normal.

Anormal é demitir um profissional, qualquer que seja, rodado ou não, com apenas três partidas, de fato, em uma nova competição.

Dorival ficou afastado 10 dias por ter contraído coronavírus.

Não dirigiu o time em dois confrontos.

Voltou contra o São Paulo, perdeu o jogo, 1 x 0, e caiu.

Uma falta de respeito com um ser humano de 58 anos que ficou doente no local de trabalho, exercendo sua profissão.

Dorival Júnior foi demitido na manhã desta sexta-feira. Foto: Reprodução

Foram 18 confrontos entre Supercopa, Campeonato Paranaense, Libertadores e Campeonato Brasileiro.

Nove vitórias, três empates e seis derrotas.

Aproveitamento de 55%.

Oito meses de trabalho.

Para o nosso padrão até que durou bastante.

Recentemente foi campeão estadual.

Não bastou.

Eduardo Barroca caiu no Coritiba. Foto: Reprodução

Quatro treinadores já perderam o emprego nessa arrancada do Brasileiro.

Pela ordem Eduardo Barroca (Coritiba), Ney Franco (Goiás), Daniel Paulista (Sport) e por fim, Dorival.

Thiago Largui, em um treino no Goiás. Foto: Reprodução

Independente da filosofia histórica de falta de continuidade e tempo para trabalhar, o que é bem interessante é o rejuvenescimento de treinadores no mercado – com 38 anos, Eduardo Barroca e Daniel Paulista fazem parte desta nova safra.

Eduardo Barros (35 anos) assumiu interinamente no Athletico.

É da base, já esteve à frente do elenco principal, em 2019, quando Tiago Nunes (outro jovem de apenas 40 anos) deixou o clube para acertar com o Corinthians.

Barros vai comandar o time contra o Bragantino, na próxima quarta-feira (2).

Precisa de uma vitória para continuar.

O problema é que a torcida não costuma valorizar prata da casa e geralmente exige um treinador com mais bagagem e títulos no currículo.

Thiago Largui, de 39 anos, assumiu o Goiás.

E Jair Ventura, de 41 anos, o Sport.

Ramon Menezes está com moral no Vasco. Foto: Lance

Ramon Menezes, 48 anos, é um grande exemplo dessa renovação na casamata.

Está dando certo, precisa de mais tempo, o campeonato é longo, mas já é possível ver uma equipe coesa, com uma cara, uma forma de jogar.

O torcedor vascaíno voltou a se animar.

Umberto Louzer nos tempos do Guarani. Foto: Reprodução

Outra grande revelação é Umberto Louzer, de 40 anos.

Começou no Sub 20 do Paulista de Jundiaí SP em 2016.

A primeira chance profissional foi em 2018 no Guarani de Campinas, na Série B.

Passou por Vila Nova GO e Coritiba ano passado e foi demitido no meio do caminho.

Cheguei a comentar no último sábado (22) no Clube da Bola da NDTV Record que quando Louzer chegou na Chapecoense fui buscar auxílio no Google.

Ele arrumou a Chape na reta final do Campeonato Catarinense.

Chega forte para a decisão contra o Brusque.

E na noite de hoje vencia o líder Cuiabá MT, na Arena Pantanal, até os 47 minutos da etapa final, quando sofreu a virada, por 2 x 1.

A liderança foi perdida em três minutos.

Isso, contudo, não tira o mérito do seu desempenho à beira do campo.

Jerson Testoni em jogo no Estádio Augusto Bauer. Foto: Reprodução

E temos outros nomes que seguem a mesma linha.

Jerson Testoni do Brusque está com muita moral no Augusto Bauer.

Também só tem 40 anos.

Lembro dele na base e a primeira chance oficial (efetivado mesmo) após a saída de Waguinho Dias para o Criciúma.

Era auxiliar.

Foi boleiro.

Não inventou, manteve o feijão com arroz bem temperado, e ganhou o vestiário.

Elano assumiu o Figueirense nesta sexta-feira. Foto: ndmais.com.br

Quem chega agora é Elano Blumer, 39 anos.

O ex-volante do Santos assumiu o Figueirense, após a saída de Márcio Coelho (santo de casa).

Chegou nesta sexta (28).

E no sábado (29) já estreia contra o Confiança SE.

Como exigir mudanças logo de cara?

Como cobrar resultado?

Pode trazer treinador português, argentino, espanhol, uruguaio, inglês…

Essa mentalidade predatória é histórica.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Mentalmente sã: acusada de matar grávida em Canelinha poderá ser julgada pelo crime

Foi juntado ao processo penal o laudo de uma perícia judicial, conduzida a pedido da defesa, que atesta a sanidade mental da mulher denunciada...

Carro fica totalmente destruído após incêndio no bairro Badenfurt

Um incêndio deixou um carro totalmente destruído na tarde desta segunda-feira (30) em Blumenau. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o veículo -...

Justiça concede liberdade a motorista embriagado de acidente que matou casal na BR-470

A Justiça concedeu liberdade provisória ao motorista do Corsa envolvido no grave acidente de trânsito que tirou a vida de duas pessoas na noite...

Covid-19: Blumenau confirma cinco mortes e 376 casos nesta segunda-feira

Mais cinco mortes decorrentes do novo coronavírus foram confirmadas em Blumenau nesta segunda-feira (30). Entre as vítimas estão dois homens, de 83 e 57...

Saiba o que fazer se você não votou nem justificou o voto no 2º turno

Os eleitores de Blumenau que não compareceram às seções eleitorais neste domingo (29), no 2º turno das Eleições Municipais de 2020, têm até 60...