InícioGeralSindicato volta a falar em paralisações do transporte coletivo em Blumenau

Sindicato volta a falar em paralisações do transporte coletivo em Blumenau

O Sindicato dos Empregados Permissionários do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau (Sindetranscol) ameaçou, em nota divulgada na tarde desta segunda-feira (24), realizar novas paralisações na cidade durante a semana. Apesar do tom ameaçador, nenhuma data foi confirmada na nota.

A última paralisação ocorreu no dia 14 de fevereiro, quando cerca de 10% dos funcionários cruzaram os braços. Na ocasião, apenas linhas do Terminal Garcia foram comprometidas. Desde então, os ônibus têm circulado normalmente pela cidade.

Na nota, o sindicato pede que o prefeito Mário Hildebrandt permita que os ônibus circulem em sistema de “catraca livre”, prática que, sem a permissão, pode levar os funcionários à demissão por justa causa.

Segundo o sindicato, a empresa “Piracicabana/Blumob não se pronunciou” depois da paralisação realizada há pouco mais de uma semana e “segue sem negociar” com os trabalhadores.

Confira abaixo a nota na íntegra:

PIRACICABANA/BLUMOB LUCRA UM MILHÃO POR MÊS SÓ EM BLUMENAU E, DESCARADAMENTE, FALA EM CRISE!

A disputa de posições entre o SINDETRANSCOL X PIRACICABANA/PODER PÚBLICO é muito desigual. De um lado, NÓS, trabalhadores(as) e do outro lado, OS PATRÕES, com seu GOVERNO MUNICIPAL, seu domínio sobre grande maioria da IMPRENSA/MÍDIA. As informações estão sendo manipuladas, mascarando a verdade, impedindo o devido debate.

Porém, nós trabalhadores(as), e nosso sindicato, não nos calaremos.

O que pensar quando as maiores autoridades do município defendem abertamente os interesses da empresa? E distorcem informações das folhas de pagamento? E defendem a solução pelo confronto ao lado da empresa, mesmo alegando “não ter nada a ver com isso”? E nos chamam de TERRORISTAS, mas, estamos a quase QUATRO MESES esperando? E nos tratam como FORASTEIROS? Só porque a maioria dos/as trabalhadores/as da categoria e da direção do sindicato não nasceram em Blumenau?

Não nos calaremos!

DESAFIAMOS O PREFEITO MARIO HILDEBRANDT: Que tal um debate aberto, numa coletiva de imprensa com tempos de fala iguais, para o senhor e para nosso representante? Seria enorme oportunidade para nossa comunidade se esclarecer sobre vários aspectos do sistema de transportes. Composição da tarifa/custos, salários, índices, horários, logística, etc.

O povo pede catraca livre, nós queremos atender, só falta o senhor autorizar! Com certeza, lá em São Paulo, os donos da Piracicabana/Blumob em pouco tempo resolverão ter mais respeito com seus/uas empregados/as blumenauenses. E acaba todo o conflito.

SEM MENTIRAS, VAMOS AOS NÚMEROS!

Como a cidade está constatando, a empresa Piracicabana/Blumob não se pronuncia, até porque seus melhores advogados são o prefeito e o secretário de transporte do município. Nas poucas reuniões havidas com a gente, a empresa reclama da “CRISE”, das dificuldades de caixa, entre outras coisas absurdas e insustentáveis.

QUE CRISE? AQUI TEM RECEITA ANTECIPADA.

Segundo a AGIR(?), aproximadamente 70% da receita do sistema é antecipada através de cartões, carregados no início de cada mês. Onde está o rendimento deste dinheiro antecipado? Não tem inadimplência, nem cheque sem fundo e todos/as usuários/as pagam, de uma forma, ou de outra. Perderam passageiros? Não é verdade. Após uma queda, segundo consta da capa do SANTA, de 12/Abril/2019, o número de passageiros CRESCEU 2%. O SETERB avaliou que se manteria o crescimento em 2019.

AUMENTO DE RECEITA = DO REAJUSTE DOS SALÁRIOS

A Piracicabana iniciou em seguida a um aumento tarifário, com valor de R$ 3,65 em Janeiro de 2016, chegando no final de 2018 a R$ 4,20; Em três anos obteve reajuste de 15,06%. Nesse período, reajustou salários em 12,52%. Aumento tarifário 2,67 vezes maior que o reajuste salarial.

Explicamos: em média nacional, o investimento em pessoal corresponde a 45% dos custos totais das empresas. Portanto, o índice 12,52% nos salários impacta os custos totais da empresa em apenas 5,63%, portanto, 2,67 vezes menor que o aumento tarifário.

NOVA TARIFA =TRÊS VEZES O REAJUSTE SALARIAL

Ao final de Novembro/19, o valor da tarifa pulou pra R$ 4,30, conforme Decisão Final No 080/19, da AGIR. Com mais um presente, o aumento tarifário chega a 17,80%, 3,16 vezes maior que os reajustes salariais.

A MAIOR DAS MENTIRAS é a de que a Piracicabana/Blumob reajusta os salários e, depois, tem que recuperar isso no aumento tarifário. Isso é um crime contra nossa categoria e a cidade. Primeiro, porque já demonstramos que o impacto dos salários é bem menor do que anunciam. Segundo, porque a empresa recebeu aumento de tarifa antes de iniciar sua operação, segundo Decreto no 10.866/16. Só reajustou salários 10 meses depois, em Novembro/16; e obteve novo reajuste de tarifa no dia 21/Janeiro/2017, conforme Decreto no 11.177/17. Então, em 12 meses a Piracicabana obteve dois aumentos tarifários, enquanto concedeu um reajuste salarial. Forasteira bem gulosa.

REDUÇÃO DE CUSTOS OPERACIONAIS E ADMINISTRATIVOS: Muitos dos custos que compunham a tarifa reajustada para a Piracicabana foram retirados da empresa. O Poder Público assumiu a administração e manutenção dos terminais; estações de pré-embarque foram desativadas; foram retirados horários e linhas foram fundidas, reduzindo a utilização de 200 trabalhadores e 40 veículos; 60% da categoria profissional recebia horas-extras fixas e seis folgas semanais, direitos que foram retirados. TUDO ISSO CONTINUOU NO CUSTO TARIFÁRIO! Lucro sem causa para a forasteira!

CONQUISTAS QUE TODO/A TRABAHADOR/A MERECE: Desinformados e oportunistas tentam impor que trabalhador de transporte é MUITO BEM PAGO e está com todos os direitos em dia. Tentam deslegitimar os/as trabalhadores/as do transporte.

VAMOS REFLETIR: O povo tem direito a transparência, de discutir os componentes da tarifa, nossos salários inclusive. Salários não são altos, aliás, um dos maiores é o do Motorista, de R$ 2.614,85 brutos. Pouco mais da metade do salário mínimo necessário, segundo a Constituição e calculado pelo DIEESE, que é de R$ 4.342,57. VALE ALIMENTAÇÃO: O valor de R$ 820 é uma conquista da categoria para garantir boa alimentação e saúde para poder produzir. Não nos esqueçamos de que a Piracicabana tem INCENTIVO FISCAL sobre o que paga de alimentação e uniformes aos/as empregados/as. E compensa os baixos salários, como os de Cobrador/a/Agente de Bordo, que é de R$ 1.530,79.

COMPANHEIROS/AS DE OUTRAS CATEGORIAS: Conclamamos aos/as demais trabalhadores/as da cidade a nos unir. Não vamos cair na mentira patronal de alguns de nós tem privilégio, por um vale alimentação de R$ 820. Juízes e políticos recebem auxílios muito maiores que nossos salários. E o que fazemos? Não vamos nos rebaixar, não vamos aceitar nos nivelar por baixo. Vamos todos/as lutar juntos/as por mais. NÃO PERGUNTE POR QUE ALGUNS GANHAM MAIS, PERGUNTE POR QUE VOCÊ GANHA MENOS. Cobre de seu patrão e de seu sindicato o teu direito, como nós fazemos.

A LUTA E AS PARALISAÇÕES CONTINUAM: Suspendemos nosso calendário de paralisações na semana passada em respeito à população, porque não queremos greve e sim negociação. Apostamos numa retomada do diálogo, que não aconteceu. Enquanto o prefeito não autoriza a CATRACA-LIVRE, continuaremos com nossas mobilizações e, já comunicamos, que nesta semana retomaremos as paralisações.

Sindetranscol | Sindicato de Luta!

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com