Início Emerson Luis Esporte: A volta do BEC. O original, por Emerson Luis

Esporte: A volta do BEC. O original, por Emerson Luis

O tema é delicado. 

Complexo.

Confuso.

Envolve amor. 

Paixão.

Interesses. 

BEC campeão da segunda divisão de 1987 com Aderbal lotado. Foto: Memorial do BEC

A possibilidade de um retorno aos gramados existe?

Sim. 

Só que é preciso ter cautela.

Para não iludir ninguém.

Sobretudo o torcedor do Blumenau.

O autêntico.

O legítimo tricolor.

O BEC do velho Deba.

O campeão catarinense da segunda divisão em 1987.

O vice-campeão da primeira divisão em 1988.

Que participou da Copa do Brasil em 1989.

Que encarou o Flamengo no Maracanã.

Que disputou a Série B do Campeonato Brasileiro.

O mesmo Blumenau Esporte Clube que no fim, quebrou, faliu.  

Que pode ressurgir.

Ou não.

Flamengo 3 x 1 Blumenau. Maracanâ. 1989. Foto: Memorial do BEC

Fui cobrado por um torcedor, na boa, quando escrevi aqui no Portal que o Blumenau oficial estava morto! 

Lembrou que com o dinheiro que veio do Bragantino SP, as dívidas poderiam ser quitadas.

E a chance da equipe voltar era real.  

Para quem não sabe, em novembro de 2019, o clube paulista depositou em juízo R$ 2,1 milhões (aqui já estão descontados os honorários) referentes a uma causa trabalhista da década de 90.

Que envolvia o empréstimo de um jogador e a emissão de uma nota promissória nunca paga.

Cabe ao síndico da massa falida apresentar à justiça a relação de credores para que sejam autorizados os repasses e a liberação dos depósitos.  

A expectativa é para que tudo seja finalizado ainda este ano.

O montante depositado somado à venda do terreno do Estádio Aderbal Ramos da Silva (após a demolição) é suficiente para quitar todas as pendências.

E ainda sobra dinheiro.

É o que dizem.

É o que tentei apurar.

Antigo Estádio Aderbal Ramos da Silva. Foto: Memorial do BEC

Enviei mensagem esta semana para André Jenichen. 

O responsável pelo processo.

Ignorou. 

O que não é nenhuma novidade. 

Falei com colegas de profissão.

Também tentaram.

Estão esperando até agora.  

Deve estar muito ocupado.

Recorri à assessoria de Imprensa do Fórum.

E fui educadamente atendido.

A resposta:

“A última movimentação do processo da Massa Falida do BEC ocorreu em dezembro de 2019, ainda sobre o depósito do Clube Atlético Bragantino. O processo de número 0018875-54.2000.8.24.0008 tramita na 1ª Vara Cível da comarca de Blumenau e o administrador judicial é André Jenichen. A Assessoria da 1ª Vara informa que ainda não há decisão sobre o destino do valor depositado, mas que constará na movimentação do processo. Não há cálculo atualizado dos débitos e a última relação de credores é antiga. Uma atualização será feita nos próximos dias”.

Me cadastrei no Portal de Serviços do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).

Tive acesso ao processo.

Até um limite.

Poo ora, mesmo não havendo nada oficial, é importante que se faça uma prestação de contas, em breve.

Para que o assunto não caia no esquecimento.

Quanto entrou a gente já sabe.

Mas qual o valor da dívida?

São quantos beneficiados?

Perguntas básicas.

Estádio Aderbal Ramos da Silva se transformou em uma rua e estacionamentos. Foto: Internet

Uma curiosidade.

Em 2011, quando a marca BEC poderia ter ido à leilão, a dívida, com juros, ultrapassava R$ 6 milhões.

Em juízo, o Blumenau tinha em “caixa” R$ 2,3 milhões.

Chicão foi indenizado após a venda do terreno do Aderbal. Foto:Arquivo Pessoal

Acordos foram feitos na época.

Chicão, o “artilheiro de Deus”, recebeu indenização, por exemplo.

Conversei com um advogado.

Lembrou de ter fechado pelo menos dois acordos.

Em um deles, de R$ 270 mil.

Um ex-funcionário que tinha muito tempo de casa.

Marca usada quando o BEC faliu. Foto: Internet

Em 2014, a Justiça proibiu o Blumenau Sport Club Madureira de usar símbolos que fizessem referência ao Blumenau Esporte Clube.

A decisão se estendia para a Associação Amigos do BEC e Federação Catarinense de Futebol.

Representações que eram utilizadas desde 2005.

Que continuam até hoje.

Sem ninguém ser notificado.

No momento, a marca está de posse do presidente Carlos Henrique da Silva Carneiro.

“Zidane” garantiu que não abre mão, não negocia, caso seja chamado para uma conversa.

Estádio Municipal de Rio do Sul. Foto: Divulgação

Esse Blumenau atual vai disputar a Série C a partir de setembro.

Em Rio do Sul.

O dirigente vai pagar R$ 10 mil por mês para jogar no Estádio Alfredo João Krieck.

No acordo estão incluídas as reformas.

Ao mudar de endereço, a Federação cobra uma taxa de R$ 60 mil.

O mesmo vale para o Metropolitano, que vai jogar a Série B em Ibirama.

No caso do Blumenau, não vai ser fácil pagar essa conta.

De todo modo uma fonte me garantiu que um despacho jurídico pode resolver tudo isso, sem precisar se estressar.

Quanto ao CNPJ original, está baixado na Receita Federal.

Ele não é mais reconhecido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Mas pode ser recuperado conforme mostra o documento abaixo.

Desenho, escudo, símbolo, cores…

Pouco importam.

A discussão é em torno do nome Blumenau Esporte Clube.

O genuíno.

Marca registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial pelo Blumenau Sport Club Madureira. Foto: Internet

Se de fato o regresso acontecer um dia, pela lei, o último presidente assume, no caso o advogado José Dailton Barbieri. 

Uma assembleia terá de ser convocada.

E alguém precisa assumir oficialmente.

Com dinheiro em caixa é bem menos complicado recomeçar.

São especulações.

Projeções.

Sonhos.

Tudo ainda muito superficial.  

Escudo oficial do BEC quando da sua fundação usado pelo time atual . Foto: Internet

BEC e Aderbal sempre foram uma coisa só.

Difícil dissociar.

Um elo que nunca mais vai voltar.

A destruição do estádio em 2007 foi um baque para o bequiano raiz.

Para a velha guarda.

Que não desistiu.

Acreditou.

Estádio Aderbal Ramos da Silva já sem arquibancadas. Foto: Memorial do BEC

Se esse desejo vai se configurar é outra história.

Tem muita coisa em jogo.

Um fato é certo.

Do jeito que está não dá mais.

É muita chacota e queimação de filme.

É o nome da cidade nas manchetes.

A chance do Blumenau ficar em paz consigo mesmo existe.

BEC em campo na década de 90 no Aderbal. Foto: memorialdobec.blogspot.com

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Coronavírus: Prefeitura de Blumenau vai ampliar número de leitos hospitalares

Na coletiva de imprensa no final da tarde deste sábado (28) com o boletim diário das ações de prevenção e combate ao coronavírus, a...

Gaspar vai adotar ensino à distância para alunos da rede municipal

A exemplo do que fez a Prefeitura de Blumenau, a Secretaria de Educação de Gaspar também vai oferecer atividades à distância para...

Arquitetura: o glamour das lareiras na composição de interiores, por Val Araújo

Olá! Hoje vamos falar sobre lareiras na arquitetura de interiores. Antes utilizada para aquecer do frio, hoje ela tomou espaço como peça...

Defesa Civil lança canal de doação de materiais para enfrentar o coronavírus

Para arrecadar materiais fundamentais para ações de combate ao coronavírus em Santa Catarina, a Defesa Civil lançou um canal de doações. O...

Governo de SC firma parceria com UFSC para testes de detecção do coronavírus

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) firmou uma importante parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com o objetivo...