InícioEmerson LuisEsporte: A difícil arte de selecionar atletas, por Emerson Luis

Esporte: A difícil arte de selecionar atletas, por Emerson Luis

Peneiras.

É uma tradição em muitas modalidades.

Principalmente no futebol e no futsal.

Spaca Blu e Apama fizeram recentemente suas seletivas.

Outras modalidades também.

Como o basquete feminino, ano passado.

É um assunto que me intriga.

Fui aprovado no futebol de salão ainda criança.

E reprovado no futebol já com meus 18 anos.

A cabeça tava toda virada nesse segundo teste.

Era um recomeço.

Nesse intervalo de tempo, após uma mudança de endereço (que me impediu de ir para a escola de manhã e treinar a tarde), sofri um bloqueio.

Não acertava um passe.

Travei, desisti.

Foi um trauma.

Chorei muito.

Na época não me conformava.

Não entendia as prioridades.

“Destruíram meu sonho”.

Hoje dou razão aos meus pais, que me apoiaram sempre.

Eu era um moleque de 10 anos.

Precisava estudar.

Hoje nas conversas que mantenho com alguns treinadores, o que mais dizem é:

“Não está fácil. Se a gente aprovar pelo menos um menino ou menina em cada categoria, já estamos satisfeitos.”

Não raro, esses clubes tem um forte trabalho de base, que começa cedo, vira uma filosofia.

Só que existe uma carência muito grande em uma faixa etária.

Especialmente entre 12 e 17 anos.

A fase das curiosidades, das incertezas, dos smartphones.

Em 2004, peneira do Bluvolei reuniu 155 meninas. Foto: Divulgação

A tarefa é bem menos complicada para quem já está inserido no esporte.

E facilita muito se o atleta tem ajuda de custo e principalmente bolsa de estudo.

Muitos que hoje se beneficiam de algum tipo de programa passaram por uma seleção.

É preciso entender também que muita gente nessa idade já rala para ajudar no sustento da casa.

Não dá para largar tudo de uma vez e se aventurar.

Ainda mais quando não se tem um padrinho.

Conversei com o técnico Orlando Machado da Spaca Blu. 

Sua maior preocupação era encontrar jogadores para os times Sub 13 e 15 (a Spaca não tem Sub 17).

O receio se confirmou na semana de avaliações.

O maior déficit se concentrou exatamente nessas duas categorias.

Escolinha da Spaca Blu. Foto: Divulgação

50 inscritos.

28 aprovados.

5 para o Sub 9 (competição) + 12 (iniciação).

2 para o Sub 11 (competição) + 6 (iniciação).

2 para o Sub 13 (competição).

1 para o Sub 15 (competição).

Seletiva da Apama. Foto: Divulgação

Por outro lado, na Apama, o resultado foi até comemorado pelo técnico Reginaldo de Souza.

Sub 15:

38 avaliados/6 aprovados.

Sub 17:

57 observados/8 passaram.

Reginaldo me confidenciou que o encontro superou a expectativa, embora tenha ressaltado que a qualidade deixou a desejar.

“Vamos trabalhar para dar mais qualidade para esses meninos”.

O professor faz a parte dele.

O que vem pela frente passa muito pela força de vontade do jovem.

O período de adaptação com treinos físicos, técnicos e táticos é puxado.

Exige disciplina, foco e escolhas.

Com tanta “concorrência” é muito fácil desistir.

A atenção e incentivo dos pais são imprescindíveis.

A propósito, no próximo sábado (15), na Associação Karsten, no Testo Salto, a Escolinha de Futebol Francis/Iafa promove uma avaliação com idade entre 10 e 15 anos.

Que tal surpreender teu guri?  

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

    error: Toda e qualquer cópia do Portal Alexandre José precisa ser creditada ao ser reproduzida. Entre em contato com a nossa equipe para mais informações pelo e-mail jornalismo@alexandrejose.com