Prefeitura declara luto de três dias pela morte do Comendador Rolf Odebrecht

Publicidade

Foto: Arquivo Pessoal

Faleceu na madrugada de quinta-feira (10), o Comendador da Cultura, Rolf Odebrecht. Natural de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, ele era filho de Oswald Odebrecht e Else, nascida Voigt. O último neto vivo do engenheiro Emil Odebrecht estava com 99 anos. Como forma de homenagem, a bandeira do município ficará hasteada em meio mastro por três dias no Mausoléu Dr. Blumenau.

Rolf estudou na Escola Evangélica de Rio do Sul e fez o curso ginasial no Colégio Santo Antônio. Depois fez o curso complementar no Rio de Janeiro, na Escola Nacional de Agronomia, e ainda o curso de preparação para Oficiais da Reserva. Rolf teve uma carreira de 32 anos como agrônomo fiscal do Banco do Brasil. Trabalhou no interior de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Era casado há 65 anos com Renate Odebrecht, com quem teve cinco filhos.

Rolf Odebrecht foi presidente do Conselho Diretor da Escola Evangélica e, juntamente com Guilherme Gemballa, fundou e construiu o Ginásio Evangélico Ruy Barbosa, hoje Colégio Sinodal Ruy Barbosa. Também fundaram a Faculdade de Administração do Alto Vale, hoje Universidade de Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi). Rolf foi o primeiro vice-diretor da faculdade.

Depois de se aposentar, em Curitiba, o casal fixou residência no bairro Garcia, construindo sua casa no exato lugar onde fora a casa de Emil e Bertha Odebrecht. Tiveram o prazer de ver seus 12 netos divertirem-se sob as árvores centenárias.

O comendador junto com a esposa dedicou-se às pesquisas de genealogia e de história da família e da região. Escreveram e publicaram o livro Cartas de Família Ensaio Biográfico de Emil Odebrecht, 2006, de 570 páginas.

Genealogia

O livro traz além da biografia dos ancestrais e da genealogia dos Odebrecht, alemães e brasileiros, cerca de 100 cartas transcritas da letra gótica e traduzidas. Reproduz fotos e uma série de mapas de levantamentos geodésicos feitos pelo engenheiro, é um passeio pelo cotidiano da Colônia Blumenau desde a fundação até os adventos da República. O livro recebeu a Medalha do Prêmio 2007 do Colégio Brasileiro de Genealogia. Em 2013, o casal publicou o livro Capítulos da História de Rio do Sul.

Rolf Odebrechet também participou ativamente das discussões sobre a história da cidade junto ao Instituto Histórico de Blumenau, além de dar importante contribuição para a Revista Blumenau em Cadernos. Recebeu o título de Comendador da Cultura em agosto de 2019 junto com a esposa. “Expressamos nossos agradecimentos por toda dedicação no segmento cultural. A esposa, filhos, netos, familiares e amigos, nosso carinho e nossas orações”, salienta o secretário de Cultura, Rodrigo Ramos.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: