Início Geral Prefeitura declara luto de três dias pela morte do Comendador Rolf Odebrecht

Prefeitura declara luto de três dias pela morte do Comendador Rolf Odebrecht

Faleceu na madrugada de quinta-feira (10), o Comendador da Cultura, Rolf Odebrecht. Natural de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, ele era filho de Oswald Odebrecht e Else, nascida Voigt. O último neto vivo do engenheiro Emil Odebrecht estava com 99 anos. Como forma de homenagem, a bandeira do município ficará hasteada em meio mastro por três dias no Mausoléu Dr. Blumenau.

Rolf estudou na Escola Evangélica de Rio do Sul e fez o curso ginasial no Colégio Santo Antônio. Depois fez o curso complementar no Rio de Janeiro, na Escola Nacional de Agronomia, e ainda o curso de preparação para Oficiais da Reserva. Rolf teve uma carreira de 32 anos como agrônomo fiscal do Banco do Brasil. Trabalhou no interior de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Era casado há 65 anos com Renate Odebrecht, com quem teve cinco filhos.

Rolf Odebrecht foi presidente do Conselho Diretor da Escola Evangélica e, juntamente com Guilherme Gemballa, fundou e construiu o Ginásio Evangélico Ruy Barbosa, hoje Colégio Sinodal Ruy Barbosa. Também fundaram a Faculdade de Administração do Alto Vale, hoje Universidade de Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi). Rolf foi o primeiro vice-diretor da faculdade.

Depois de se aposentar, em Curitiba, o casal fixou residência no bairro Garcia, construindo sua casa no exato lugar onde fora a casa de Emil e Bertha Odebrecht. Tiveram o prazer de ver seus 12 netos divertirem-se sob as árvores centenárias.

O comendador junto com a esposa dedicou-se às pesquisas de genealogia e de história da família e da região. Escreveram e publicaram o livro Cartas de Família Ensaio Biográfico de Emil Odebrecht, 2006, de 570 páginas.

Genealogia

O livro traz além da biografia dos ancestrais e da genealogia dos Odebrecht, alemães e brasileiros, cerca de 100 cartas transcritas da letra gótica e traduzidas. Reproduz fotos e uma série de mapas de levantamentos geodésicos feitos pelo engenheiro, é um passeio pelo cotidiano da Colônia Blumenau desde a fundação até os adventos da República. O livro recebeu a Medalha do Prêmio 2007 do Colégio Brasileiro de Genealogia. Em 2013, o casal publicou o livro Capítulos da História de Rio do Sul.

Rolf Odebrechet também participou ativamente das discussões sobre a história da cidade junto ao Instituto Histórico de Blumenau, além de dar importante contribuição para a Revista Blumenau em Cadernos. Recebeu o título de Comendador da Cultura em agosto de 2019 junto com a esposa. “Expressamos nossos agradecimentos por toda dedicação no segmento cultural. A esposa, filhos, netos, familiares e amigos, nosso carinho e nossas orações”, salienta o secretário de Cultura, Rodrigo Ramos.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Coronavírus: Santa Catarina soma 134 mortes e 8,5 mil infectados

Três novas mortes em decorrência do coronavírus foram registradas em Santa Catarina nesta sexta-feira (29), informou o Governo do Estado. Ao todo,...

Mais de 150 focos de Aedes são encontrados em Blumenau em 30 dias

157 focos com larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya, foram encontrados por agentes de endemias da Secretaria...

Serasa Experian Blumenau abre programa de seleção remunerado para programadores

A startup da Serasa Experian de Blumenau, que também possui sede em São Paulo, abriu o programa de seleção e formação de...

Política: quais os impactos da Covid-19 nas eleições municipais de 2020? Por Luiz Carlos Nemetz

Essa passa ser a pergunta que todos estamos nos fazendo. A pandemia da Covid-19 mexeu com a estrutura da organização social no...

Esporte: Antes que seja tarde. Por Emerson Luis

"Antes de morrer, viva!"A frase de William Shakespeare se encaixa perfeitamente naquilo que fizeram os ícones Jack...