Moradores da Itoupava Central denunciam vizinho por importunação sexual

Publicidade

Foto: Especial/Portal Alexandre José

Geralmente, morar em uma rua sem saída é sinônimo de tranquilidade. Devido ao movimento reduzido de veículos, as crianças têm liberdade para brincar na calçada, sem muito perigo. Mas não é o que acontece na Rua Marema, na Itoupava Central. Um dos moradores tem tirado o sossego das famílias ao – repetida vezes – mostrar o pênis para as meninas. O fato já foi denunciado à polícia.

O caso mais recente aconteceu na última quinta-feira (20), quando duas garotas, de sete e de 11 anos, foram vítimas do suspeito. Elas contaram tudo às mães, que chamaram a Polícia Militar. No dia seguinte, o vizinho chegou a ser levado à delegacia para prestar esclarecimentos, mas foi liberado em seguida pois já havia passado o período do flagrante. É um aposentado, de 58 anos, que mora com a esposa e a filha.

A mãe de uma das meninas, que não será identificada para preservar a identidade da menor, contou à equipe do Portal Alexandre José que, ao questionar os demais moradores sobre a possibilidade de isso ter ocorrido com outras crianças, ficou sabendo que esta não foi a primeira vez. “Moças que hoje são adultas já presenciaram a cena e nunca falaram nada por vergonha ou por medo dos pais”, disse a costureira.

Outra moradora confirmou essa versão ao apresentar boletins de ocorrência registrados no final de 2017 contra o mesmo suspeito. Naquela época, cinco crianças, com idades entre nove e 12 anos, prestaram depoimento relatando ter visto o vizinho mostrar o pênis. Porém, em uma das fases, o processo acabou sendo arquivado, numa tentativa de acordo com o acusado, que prometeu que nunca mais faria isso de novo.

“O tempo passou e ele voltou a fazer as mesmas coisas. Mas, desta vez, ele terá que pagar”, desabafou a mulher, que teve a filha e a neta envolvidas no caso. Ela promete reabrir o processo no Fórum de Blumenau. Segundo os moradores, o vizinho age sempre da mesma forma: abre a porta do caminhão-baú que fica estacionado na rua e, lá  dentro, abaixa as calças e aparece com a genital à mostra na frente das crianças.

Polícia Civil investiga o caso

No Boletim de Ocorrência (B.O.) registrado na semana passada, o caso foi classificado como importunação sexual, um crime incluído no Código Penal em setembro de 2018, que criminaliza a conduta do agente que praticar contra outrem, sem seu consentimento, ato libidinoso, com o objetivo de satisfazer a sua lascívia ou de terceiro. A punição para quem comete é de um a cinco anos de reclusão.

Da Central de Polícia, o B.O. foi encaminhado à Delegacia de Proteção à Mulher, à Criança e ao Adolescente (DPCAMI) de Blumenau. De acordo com o delegado David Sarraff, somente esta semana, quatro mães já procuraram a DPCAMI para formalizar queixa contra o mesmo suspeito. Se comprovadas as denúncias, ele deve ser indiciado pelo crime de importunação sexual e, se condenado, pode cumprir pena em regime fechado.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: