Manifestação pede por justiça pela morte de jovem atropelado por motorista embriagado

Publicidade

Foto: Diego Becker / Portal Alexandre José

Nas camisetas, a foto de Deivanir Paganardi e nos cartazes palavras pedindo por justiça. Assim foi a manifestação que aconteceu no início da tarde desta sexta-feira (28) em frente ao Fórum de Blumenau. Familiares e amigos do ciclista que morreu ao ser atropelado por um motorista embriagado na Itoupava Central, no dia 21, pedem que o condutor seja responsabilizado. O teste do bafômetro naquela noite acusou 0,93 mg/l. O jovem, de 19 anos, chegou a ser preso, mas foi liberado dois dias depois.

“O carro bateu e ele morreu na hora, eu vi tudo. Foi horrível. Agora estou aqui pedindo por justiça. O rapaz está solto e eu não aceito isso, ele tirou a vida do meu esposo, minhas duas crianças agora estão sem pai. É uma tragédia,” conta a esposa de Deivanir, Thais Regina Silva. Ela estava ao lado da vítima no momento do acidente. O casal tinha saído de casa para buscar os filhos na residência de um parente na região.

Deivanir e Thais aguardavam no acostamento para atravessar a Rua Dr. Pedro Zimmermann quando, de repente, o Chevette atingiu o ciclista. O motorista tentou fugir no dia da batida, porém, foi encontrado pelos policiais minutos depois. “Ele vai fazer muita falta pra gente e para a família. Queremos justiça e que ele fique preso. Hoje nós estamos chorando, amanhã pode ser qualquer família no nosso lugar se isso continuar” diz indignada a amiga Natália.

Foto: Jamille Cardoso / Portal Alexandre José

Uma das participantes da manifestação é Elizabete Grabner, tia de Amanda Grabner, uma das jovens que morreu em um acidente na BR-470 envolvendo um Jaguar. Neste caso, o condutor, Evanio Wylyan Prestini, também estava embriagado, conforme o teste do bafômetro feito pela Polícia Rodoviária Federal que acusou 0,72 mg/l. “Mais uma família destroçada por um irresponsável bêbado. Eu digo assassino, pois quem bebe e dirige se responsabiliza pelos atos. Estou aqui para prestar minha solidariedade e dizer que esta família não está sozinha,” reforça Elizabete.

A especialista em trânsito Marcia Pontes também esteve na manifestação. Ela explicou o por quê Evanio, do caso Jaguar, está preso e o motorista do Chevette foi liberado. “O motorista do Jaguar foi indiciado por dolo eventual no Código Penal. Já o que aconteceu com Deivanir é que, o motorista de 19 anos, foi enquadrado pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Então, pelo CTB, é homicídio culposo, onde não existe prisão preventiva.”

Segundo Marcia, neste caso do Chevette, o promotor já se manifestou para que o motorista vá à júri popular. Deivanir foi sepultado no município de Rocado, no Paraná. Thais e o marido estavam juntos há seis anos. Ela é natural do Maranhão e ele era do Paraná. O casal acabou se conhecendo em Blumenau, mas pouco tempo depois foi viver no estado vizinho. Há sete meses eles retornaram para Santa Catarina e, desde então, moravam no bairro Itoupava Central.

Foto: Marcos Fernandes / Portal Alexandre José

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: