Capitão do Corpo de Bombeiros de Blumenau dá detalhes sobre o apoio prestado a Brumadinho

Publicidade

Foto: Corpo de Bombeiros Blumenau/Divulgação

Desde o dia 31 de janeiro, o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, em especial o 3º Batalhão de Blumenau, está em Brumadinho, Minas Gerais. Os militares dão apoio e suporte ao resgate das vítimas, corpos e restos mortais das pessoas que foram atingidas pela lama após o rompimento de uma barragem de rejeitos de uma mineradora.

A terça-feira (5) foi o último dia da primeira equipe de bombeiros do Estado a participar dos trabalhos em Minas Gerais. Com o uso de retroescavadeiras, mangueiras e cães farejadores, eles buscam incansavelmente por qualquer pista embaixo de tanto material.

O Capitão Renan Ceccato conversou com Alexandre José, na Rádio Massa Blumenau, e contou que todos que trabalham no resgates, desde os bombeiros que estão na zona mais perigosa, aos voluntários que ajudam na limpeza, equipe médica, a comoção é geral.

“O número de vitimas é avassalador. Todos estão unidos. É uma tristeza profunda. Porém, colocamos sempre a parte técnica e profissional acima de tudo, para que o serviço seja realizado com maestria e desenvoltura e tentar dar um conforto às famílias,” explica.

O capitão ainda traça um paralelo entre as tragédias de Brumadinho e de Blumenau em 2008. “Se comparamos o que tivemos há 10 anos no Vale do Itajaí, a de Minas Gerais é muito maior, entretanto o sentimento, o desenvolvimento social é muito semelhante,” finaliza.

Os 10 bombeiros que estão em Brumadinho voltarão a Santa Catarina nesta quarta-feira (6). O estado catarinense dará apoio ao município durante 30 dias, sendo feito um revezamento a cada oito dias entre os militares.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: