Sindetranscol não descarta novas paralisações dos ônibus nos próximos dias

PUBLICIDADE

Foto: Diego Becker/Especial

Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (5) a direção do Sindetrancol anunciou que não está descartada a possibilidade de novas paralisações parciais hoje e também nos próximos dias. A pauta será discutida com com a categoria em assembleias durante a tarde.

“Não existe decisão de greve tomada no momento. Nós não queremos parar, nós queremos o estabelecimento de uma vida digna. A ideia é causar menor impacto à população e o maior à concessionária.,” afirmou o assessor do sindicato, Ricardo Freitas.

Das 3h às 7h, motoristas e cobradores cruzaram os braços. Os ônibus não saíram das garagens e dos terminais urbanos. O cenário pegou os usuários blumenauenses de surpresa. O Sindetranscol disse que a paralisação aconteceu porque a BluMob tratou de maneira desrespeitosa a mesa de negociação ontem, terça-feira (4).

“Fomos surpreendidos com a decisão da Piracicabana, que em 30 segundos disseram que não havia nada a oferecer. Quando marcarmos a reunião, imaginávamos que a empresa apresentaria um novo posicionamento aos trabalhadores. Foi uma molecagem,” disse Ricardo.

Quanto avisar à população sobre a parada temporária, o assessor explicou que a ideia era não gerar mais confusão ainda. “A última greve foi anunciada com cinco dias de antecedência, nós sempre comunicamos, mas dessa vez, preferimos evitar problemas maiores. Assim, as pessoas que estavam nos pontos puderam a tempo voltar para suas casas,” comentou.

O último aumento real nos vencimentos da categoria aconteceu há dois anos. “Ligamos para a empresa 17h20 de ontem para uma nova negociação, esperávamos deles uma nova proposta, mas agora nossa expectativa é que eles entrem em contato conosco. Estamos dispostos a sentar em qualquer dia com a BluMob para negociar,” explicou o presidente do Sintraseb, Pradelino Moreira da Silva.

“Se a empresa insistir em levar ao Tribunal do Trabalho o dissídio, em Florianópolis, o julgamento não acontecerá este ano. Não há o que esconder, por isso e por essa demora que acontecerá, o transporte público pode sim parar entre Natal e Ano Novo,” afirmou categoricamente o presidente do sindicato.

Ainda durante a coletiva, a direção do Sindicato afirmou que a data-base, 1º de novembro em Blumenau, virou ponto de necessidade do município e, por isso, no ano que vem a campanha salarial começará a ser discutida com o patronal antes de outubro.

Ricardo afirmou claramente que não houve ameaça aos trabalhadores que não quisessem aderir a paralisação. “Temos 96% de adesão sindical,” conclui.

IMPASSE NA NEGOCIAÇÃO SALARIAL

A Blumob propôs até o momento:

Reposição da inflação de 1º de novembro de 2017 a 31 de outubro deste ano, reajuste no vale-alimentação de R$ 730 para R$ 760 nos oito primeiros meses e R$ 800 na sequência. A empresa ainda sugeriu aos funcionários a manutenção da convenção coletiva de trabalho, a manutenção e melhoria na redação da cláusula de garantia da não aplicação da reforma trabalhista e uma folga casada ao mês.

Com isso os salários dos cobradores seria reajustado de R$ 1.435,32 para R$ 1,492,73. Já os motoristas iria de R$ 2.2451,76 para R$ 2.550,46.

A categoria através do sindicato pede:

Reposição de 4% da inflação, 5% do ganho real e reajuste no vale-alimentação de R$ 730 para R$ 820. Com o reajusta do ganho real os vencimentos dos cobradores irá de R$ 1.435,32 para R$ 1.564,50 e dos motoristas passará de R$ 2.2451,76 para R$ 2.672,42.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: