Advogados da Família Wachholz apresentam as contrarrazões ao recurso de Everton Balbinott

PUBLICIDADE

Nesta terça-feira (20), os assistentes de acusação da família de Bianca Wachholz, 29 anos, morta pelo ex-namorado Everton Balbinot de Souza, no último dia 25 de julho, apresentaram as contrarrazões para que a justiça negue o pedido de liberdade provisória do assassino confesso.

No documento, os advogados apresentam 28 argumentos rebatendo as alegações feitas por parte da defesa que afirmou, em outubro deste ano, que o assassino “agiu em defesa da própria honra”, sugerindo que Bianca foi quem provocou a situação que acabou com a sua morte.

Os argumentos dos assistentes de acusação sustentam que “o assassino confesso de Bianca, o Réu Everton Balbinott de Souza, direito de matá-la então????”

O documento ainda questiona “A justiça vai perdoa-lo pelo crime?” e “Quem em sã consciência, quer assumir qualquer risco para ser morta”.

O advogado, Alexandro Maba, ainda lembra que nos depoimentos, Balbinott confessou ser ciumento. Ainda na alegação, os auxiliares de acusação afirmam que Everton agiu unicamente porque quis matar Bianca, tendo em vista a ameaça feita na noite anterior “Se não for minha, não será de mais ninguém”.

Os assistentes de acusação da família de Bianca ainda lembram que Everton já tinha contra ele um boletim de ocorrência feito por uma ex-companheira por violência doméstica em 2014.

Conforme o documento Everton “(…) invadiu a casa de sua ex-companheira a época, de posse de uma arma, sendo que, só não conseguiu consumar o fato, matar aquela, que também poderia ter sido mais uma vítima desse assassino confesso, sendo que, a ex-companheira, somente conseguiu escapar do Réu Everton Balbinott pois conseguiu pular a janela de sua casa e fugir!”

As contrarrazões ainda reforçam que Bianca foi mais uma vítima de feminicídio, elevando as estatísticas em Santa Catarina e no Brasil. Ela teria previsto o que aconteceria de acordo com a sua última conversa com Everton pelo WhatsApp.

Maba ressalta que há um agravante, pois Bianca foi morta na frente da mãe, Sônia Wachholz. A mãe disse a nossa reportagem na época que Everton falou a seguinte frase antes de atirar em sua filha: “Eu disse que eu ia te matar!”

Os advogados relembram a justiça sobre os áudios enviados por Bianca a um amigo do casal onde ela conta o terror vivido na noite anterior ao crime. \

Segundo o relato dela, Balbinott teria apontado uma arma para sua cabeça e dito que ela somente sairia dali em um saco preto. “Prova cristalina de motivo torpe,” conclui Maba

RELEMBRE O CRIME

Bianca Mayara Wachholz foi morta no dia 25 de julho, na casa da mãe dela, pelo ex-namorado, Everton Balbinott de Souza. O crime foi testemunhado pela mãe da vítima, Sônia Wachholz. Balbinott não aceitava o fim do relacionamento com Bianca e assassinou ela com um tiro no rosto.

Um dia antes de cometer o homicídio, o suspeito já havia ameaçado a vítima dizendo que a mataria colocando uma arma de fogo em sua cabeça. Bianca, assustada e com medo, foi até a casa dos pais e naquele mesmo dia enviou um áudio pelo WhatsApp a um amigo do casal relatando tudo o que havia acontecido e disse que faria um boletim de ocorrência.

Cerca de uma hora depois, Everton pulou o muro da residência, que fica no bairro Itoupava Central. Bianca disse à mãe que ouviu alguém entrando. Ao abrir a porta da cozinha ela se deparou com o ex-namorado da filha e convidou ele para entrar. Em seguida, Bianca aparece no corredor e pergunta se Balbinott estava armado. No mesmo momento ele saca o revólver e persegue a vítima.

Bianca se desequilibrou e caiu no chão do banheiro. Foi neste momento que Everton para em sua frente e diz, segundo relato da mãe “eu disse que ia te matar!” e faz um único disparo diretamente no rosto de Bianca que morreu na hora. O suspeito fugiu e se apresentou a polícia um dia após cometer o crime.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: