Família de Bianca Wachholz contesta depoimento de Everton Balbinott em audiência

PUBLICIDADE

Foto: Reprodução / Redes Sociais

Na última terça-feira (18), aconteceu no Fórum da Comarca de Blumenau, a audiência de instrução e julgamento de Éverton Balbinott de Souza, de 31 anos. Ele é réu confesso por ter assassinado a ex-namorada Bianca Wachcholz com um tiro no rosto em julho deste ano.

Durante a audiência, Balbinott deu a sua versão dos fatos do dia do crime, e ainda confessou ao juiz, Juliano Rafael Bogo, que o tiro que atingiu o rosto de Bianca saiu da arma que estava com ele.

O advogado de defesa, João Fillipe Figueiredo, relatou que Éverton contou ao juiz que chegou na casa dos pais da vítima no dia 25 de julho, entrou e conversou com a ex-namorada. Entretanto, após uma discussão ele apontou a arma para ela, Bianca tentou se defender, colocando a mão no revólver e o disparo aconteceu. Éverton ainda negou que teria ameaçado a ex-namorada de morte nos dias que antecederam o homicídio.

Para a família de Bianca, causou espanto os argumentos apresentados pelo assassino confesso da ex-namorada no depoimento.

“As falácias proferidas em seu interrogatório diante do magistrado e do promotor, primeiro causou espanto, depois estranheza, já que mesmo ciente dos depoimentos prestados pelas testemunhas, mensagens de aplicativo e dos áudios, ainda assim o acusado sustentou uma tese cristalinamente oposta a todo vasto conjunto probatório,” explica Alexandro Roberto Maba, advogado contratado pela família Wachholz.

Os advogados ainda ressaltam que Éverton contou com frieza como o assassinato aconteceu, não demonstrando arrependimentos pelo crime. “Mesmo estando ele ali, diante da testemunha ocular do crime, Sônia, mãe da vítima, ainda assim, o assassino confesso de Bianca contou outra versão, completamente inverídica aos fatos e as provas, o que será muito bem demonstrado ao conselho de sentença,” reforça Maba.

“Há depoimentos, mensagens e os diversos áudios, inclusive os que tomamos conhecimento, depois da quebra de sigilo telefônico do assassino confesso de Bianca”, afirma o advogado.

A partir de agora, o Ministério Público, assistentes de acusação e defesa, tentarão demonstrar por intermédio das provas nos autos, a verdade dos fatos e suas teses.

Após a apresentação das provas, o juiz da 1ª Vara Criminal de Blumenau, irá proferir a sentença de pronúncia do réu, bem como marcar a data que acontecerá o Tribunal do Júri. Onde neste dia, a sociedade blumenauense, que será representada por sete jurados, poderá analisar as provas que existem em todo o processo e, então, decidir se condenam ou absolvem Éverton Balbinott de Souza.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: