Ari Moura tem substituto no Metrô? O BEC ainda sonha, por Emerson Luis

PUBLICIDADE

Foto: BEC / Divulgação

DESGASTE
Marcelo Mabilia afirmou após a vitória contra o Guarani que lamentava o terceiro cartão amarelo de Ari Moura, mas se mostrava, de certa forma, conformado porque o atacante tem jogado todas as partidas e não se descartava uma lesão muscular, pois quase não há tempo para descanso, com rodada na quarta, quinta, sábado, domingo…Um campeonato de tiro curto e desgastante, de fato.

BANCO
Na mesma entrevista que me concedeu, o treinador se mostrava tranquilo quanto ao seu substituto. Confiante, disse que tem jogadores no elenco que vão dar conta do recado. Mabilia, melhor do que ninguém, sabe a matéria-prima que tem em mãos, mas ouso arriscar que não vejo ninguém com a qualidade e as características de Ari.

Foto: Divulgação

INDISPENSÁVEL
O jovem de 21 anos que começou no Veranópolis, RS, e já tinha feito uma boa segundona pelo Marcílio Dias em 2017 vive uma fase iluminada, está jogando muito e vai com certeza fazer falta daqui a pouco, às 16h no confronto diante do Camboriú.

SUBSTITUTOS
Para efeito de comparativo, na relação de suplentes na última partida para a posição estavam Luis Ricardo, Cassiano, Fabricio, João Paulo e Henrique. Eu apostaria em Fabricio, que atua mais pelos lados do campo, mas não creio que Mabilia vá começar com ele ou outro atacante.

LÍDER
O empate será bem-vindo, por isso é bem provável que Palhinha retorne ao time, recuperado de lesão, liberando Bruninho para ter mais liberdade à frente, buscando de alguma forma suprir a sentida falta de Ari Moura. É a volta da experiência, da cadência, do toque de bola, da liderança importante em um jogo como se desenha no Roberto Santos Garcia.

RECEIO
Analisando pelo lado racional, perder um jogador como ele na reta final, por lesão ou cartão, seria bem mais complicado. O problema é que nesse momento da competição, o Metropolitano não está em condições de zerar os cartões ou poupar algum titular, até porque ainda briga para alcançar seu objetivo que é chegar as semifinais sendo campeão do returno ou entrando por índice técnico. Bruninho, a propósito, está pendurado.

GESTAÇÃO
Cabe aqui um fato interessante. Logo após a sua chegada Mabilia elogiou Rodrigo Cascca. Não foi por acaso. Se o Metropolitano conseguir o acesso tem de ressaltar o trabalho do primeiro treinador do time na Série B.

BANCOU
Ari Moura foi jogador de Rodrigo Cascca no Toledo, PR. Veio evidentemente por sua indicação. Ari chegou ao clube com exames, tomografias, laudos médicos que atestavam sua recuperação após ter fraturado o tornozelo. Diretores estavam receosos quanto a sua contratação por conta da grave lesão, mas Cascca bateu no peito e bancou a sua vinda.

OLHO CLÍNICO
Cascca também indicou Paulinho. O lateral direito é outro que tem arrebentado. Quem trouxe William Paulista, artilheiro do time com 6 gols? Rodrigo Cascca. Bruninho? Ele também, que insistiu na sua chegada, assim como Wayne (bom centroavante que pediu para sair) e Palhinha. Já existiam tratativas com o meio-campista, contudo Cascca avalizou o reforço.

Foto: Divulgação

AVAL
Adicione a essa lista Marcelo Godri e Zé Victor, blumenauenses que estavam em avaliação na pré-temporada e foram contratados após o aval do treinador. O também volante Eduardo estava sendo pouco aproveitado na base e Cascca enxergou potencial, assim como Mabilia que o promoveu a titular.

BEC
Um dirigente do Blumenau me disse essa semana que ainda acredita na classificação. Na sua visão otimista, dos quatro jogos restantes, três vão ser disputados no Sesi, sendo que o primeiro neste domingo, às 15h, diante do Barra. Depois tem Fluminense, Barroso em Itajaí, e Metropolitano, dia 8 de agosto.

REALIDADE
Bacana esse otimismo, matematicamente tem chances, de fato, contudo é preciso ser realista. O BEC disputa um campeonato onde a principal meta é se manter na Série B e arrumar a casa. Outra coisa: não depende só dele, tem seis pontos a menos do que o Marcílio Dias, o líder do returno.

QUALIDADE
Viton promove a volta do volante Bruno Sena e do meia Jean Carlos, garantia de mais pegada e qualidade na saída de bola. O treinador tem ainda algumas dúvidas nas laterais que passam necessariamente pelo aproveitamento ou não de Miller. É chover no molhado, mas passou da hora de ver mais tricolores na arquibancada. A hora é de apoio.

SERVIÇO

Até as 18h30, na loja do BEC no Shopping Park Europeu, o ingresso custa R$ 30, com direito a acompanhante. No domingo R$ 30.

PUBLICIDADE

 

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Segundona pega fogo! Por Emerson Luis – ALEXANDRE JOSÉ

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: