Saúde pede o afastamento preventivo do servidor suspeito de furtar vacinas em Blumenau

PUBLICIDADE

Foto: Especial / Portal Alexandre José

A Secretaria de Saúde encaminhou à Procuradoria Geral do Município o ofício que solicita o afastamento preventivo do servidor público suspeito de furtar vacinas no Ambulatório Geral do Centro. A medida foi tomada após a finalização do inquérito policial que apontou que o homem de 50 anos seria o responsável pelo crime cometido no dia 25 de abril.

“Demos entrada agora ao processo administrativo contra o servidor com o pedido à procuradoria. Num primeiro momento ele será afastado preventivamente, para que todo processo seja concluído. Somente depois da análise é feita, ou não, a exoneração,” afirma o coordenador municipal de atenção básica, Marco Aurélio Georg. O processo de afastamento deverá acontecer até o final desta semana.

De acordo com as investigações, ele vendia e aplicava as vacinas por R$ 25. Ele ia aos estabelecimentos oferecer o serviço ou até mesmo na rua. Em 2016 aconteceu algo semelhante e ele já era suspeito naquela época, mas ainda não há confirmação pela polícia que relacione os dois casos.

Portanto, agora a preocupação da prefeitura é em relação as pessoas que receberam as doses, já que elas não estão imunizadas. “As vacinas são sensíveis a exposição ao sol e as altas temperaturas, provavelmente estas doses já não tinham mais o efeito esperado. Desde o recebimento, transporte até a aplicação, as vacinas são armazenadas em locais climatizados. As pessoas que acabaram comprando as vacinas deste servidor precisarão se imunizar novamente já que não haverá proteção contra o vírus,” ressalta Bruna Storck, coordenadora de imunização da Vigilância Epidemiológica de Blumenau.

Entenda o caso:
A Polícia Civil deflagrou na sexta-feira (20/7) a operação H1N1. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do servidor público suspeito de desviar 200 doses de vacina contra a gripe do Ambulatório Geral do Centro, em Blumenau. O crime foi registrado no dia 25 de abril. Ao chegar na unidade, os servidores deram falta das doses.

De acordo com as investigações, o servidor que teria cometido o furto tem 50 anos de idade e é funcionário público há cerca de 10 anos. Ele trabalha como técnico de enfermagem no próprio Ambulatório Geral.

Na casa do suspeito, foram encontradas as doses de vacina que haviam sido furtadas. Elas estavam armazenadas de forma incorreta e a maioria já havia sido utilizada. Também foram encontradas seringas, agulhas, pomadas e medicamentos subtraídos da unidade de saúde.

O servidor público vai ser indiciado pelo crime de peculato/furto. Se condenado, pode pegar de 2 a 12 anos de reclusão.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: