Centro Pop de Blumenau não será mais fechado

PUBLICIDADE

Foto: Marcelo Martins/Prefeitura Municipal de Blumenau

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Semudes) de Blumenau garantiu que vai manter aberto o Centro Pop, o Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua. Após manifestações contrárias à decisão da administração municipal, a Prefeitura decidiu dar continuidade aos trabalhos, porém em outro endereço, na região central da cidade.

A decisão foi tomada após uma reunião com representantes do Movimento Nacional da População de Rua em Santa Catarina e do Ministério Público (MP), na tarde da última terça-feira (17/7), depois do anúncio de que as atividades no bairro Itoupava Seca seriam encerradas até o fim de julho e os serviços seriam oferecidos em outras unidades de atendimento: o Abrigo Municipal (Amblu) e os Centros de Referência em Assistência Social (Cras e Creas) dos bairros.

De acordo com o secretário responsável pela pasta, Oscar Grotmann Filho, a Prefeitura de Blumenau nunca teve a intenção de fechar definitivamente o Centro Pop. “A gente ia desativar aquele local, aquela casa, mas conversando com o MP nós chegamos a um consenso que os moradores em situação de rua iriam perder essa referência de endereço”, afirma.

Ficou definido que os atendimentos continuarão sendo realizados na Rua São Paulo, até que seja definido o novo endereço. A Semudes já tem alguns imóveis mapeados na região central do município, mas o contrato ainda não foi formalizado. Hoje, o Executivo paga cerca de R$ 4,5 mil por mês com o aluguel da casa onde funciona o Centro Pop.

Questionado se a possibilidade de levar o serviço para o centro de Blumenau poderia prejudicar o comércio, o secretário disse que não. “Não prejudica porque o nosso serviço de abordagem social vai ser muito mais rápido. Não podemos fazer isso compulsoriamente, ou seja, tirar à força, porque a pessoa tem o direito, mas nós a convencemos a ir para um lugar melhor”, explica Grotmann Filho.

PUBLICIDADE

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: